A Arte à margem da Capital

No dia 7 de abril, a ADAO – Associação Desenvolvimento de Artes e Ofícios – , no Barreiro, abriu as portas ao público para o seu Open Day. Num dia repleto de arte, o evento contou com músicos, DJs, performers, escultores, pintores, fotógrafos e muito mais.

Instalada num antigo quartel de bombeiros que pertencia à CP – a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários dos Caminhos de Ferro do Sul e Sueste – esta associação nasceu em 2015, da ideia de três amigos ligados ao mundo artístico: Luís Guerreiro, Ricardo Manso “Tota” e João Paulino. Desde então, a ADAO cresceu exponencialmente e os seus 3200 metros quadrados são agora a casa de dezenas de artistas.

Nos dias abertos, o espaço é repartido pelos artistas “da casa” e pelas propostas criativas que recebem de quem quer fazer parte do evento e expor o seu trabalho. O resultado são salas que enchem o olhar de quem lá entra.

Mas nesta galeria alternativa não há guias: os visitantes são convidados a aventurar-se pelo espaço e descobri-lo ao seu ritmo, pelos corredores apertados e recantos escondidos, cada sala conta uma história e no meio das peças criadas há concertos, teatro, apresentações de dança, etc. Não há limites nem regras. Esta é a casa de todas as artes.

 

Onde?
Rua da Recosta nº1
Barreiro

Como chegar?
De barco, através do Terminal Fluvial do Terreiro do Paço. O bilhete da travessia tem o valor de 2,40€

Posted in Capital and tagged , , , , , , .

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *