A bela sardinha do Rossio

Quando se pensa em sardinhas, pensa-se em sol, santos populares, amigos e, de há cinco meses para cá, n’ “O Mundo fantástico da sardinha portuguesa”!

Fonte: https://www.facebook.com/MundoSardinhaPortuguesa

Entre pastelarias, sapatarias, restaurantes e tabacarias, eis que surge no número 41 da Praça D. Pedro IV, uma loja nos tons de dourado e vermelho, com ar festivo. À porta, muitos são os portugueses e estrangeiros que observam desconfiados o interior antes de dar o primeiro passo.

Recebidos com um sorriso por todos os funcionários, entram num mundo encantado onde a sardinha e o circo são os reis da festa. E porquê esta associação? Ana Luísa, uma das responsáveis da loja, explica que “o circo tanto dá para o rico como para o pobre, tal como a sardinha”. Vestidos a preceito, os funcionários fazem igualmente por explicar o conceito da loja aos curiosos. Muitos ficam deslumbrados quando percebem que todo aquele ambiente está direcionado a um único produto.

As paredes são forradas com latas de sardinha numeradas de 1916 a 2017 e a cada década corresponde uma cor. No cimo de cada lata, está escrito um acontecimento marcante e o nome de duas personalidades nascidas nesse ano. São 140 gramas de sardinha em azeite confecionada artesanalmente na fábrica da Murtosa, em Aveiro, que muitos não chegam a provar por pena de destruir tão grande recordação. Ana Luísa brinca com a situação e sugere aos clientes que levem duas latas ― uma para comer e outra para decorar.

A responsável explica que a ideia das datas partiu de uma outra loja do grupo, a Fábrica das Enguias. Nesse caso, são vendidas enguias em molho de escabeche com a data de fundação da Fábrica da Murtosa, o ano de 1942, e muitos eram aqueles que visitavam a loja e perguntavam se não eram vendidos os vários anos. Havendo já a ambição de criar uma loja de sardinhas, aquele pedido acabou por ser contemplado. Por norma, são levadas as datas de nascimento e de casamento, mas Ana Luísa confidenciou-nos que houve quem já tivesse levado a data do divórcio!

Para compor o panorama circense, a loja conta com uma poltrona, um carrossel e um espelho alusivos à temática e muitos são aqueles que tiram fotografias e aproveitam para ver as datas dos aniversários dos amigos para oferecer um presente original! A juntar, há ainda uma parede com um dos poemas mais reconhecidos de Fernando Pessoa. Ana Luísa recorda, nostálgica, o dia em que um senhor, ao deparar-se com a tradição em pleno, acabou mesmo por se emocionar!

No ato da compra, é entregue ao cliente um passaporte que o incentiva a conhecer as restantes lojas do grupo Valor do Tempo: a Fábrica das Enguias, o Museu da Cerveja, o Pastel de Bacalhau com Queijo da Serra e as Mercearias Silva e Feijó. Ao fazer a quinta compra, o cliente recebe um copo autografado de Júlio Pomar.

Até à data, Ana Luísa refere que o balanço tem sido bastante positivo, com muita procura, quer por parte de estrangeiros, quer por parte de portugueses, para seu próprio espanto. No cantinho das sugestões, são muitos os que referem a criação de um livro de elogios e que indicam o próprio nome para ser contemplado nas latas do ano de nascimento! O negócio está a correr tão bem que, à data da visita, era inaugurada uma nova loja em Vilamoura. Mas, se quer poupar dois euros por lata, opte pela capital, onde pode levar uma bela recordação por cinco euros!

 

 

Posted in Capital and tagged , , , , , .

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *