Agenda Cultural – Agosto

No mês de agosto (quase) todos vão de férias! Vai a palidez de quem esteve encarcerado a trabalhar ou estudar, vão as pessoas para as “terrinhas”, o estrangeiro para o Sul e vai também (até setembro) a tua Magazine.

No entanto, preparámos propostas para criares experiências únicas e aproveitares da melhor forma os dias compridos e solarengos de Verão.

Decorre na Galeria do Torreão Nascente da Cordoaria Nacional uma exposição a não perder! É única não por ser um dos mais icónicos artistas surrealistas, mas por transcender a típica experiência de uma exposição, sendo mais que isso, uma instalação que permite viver as obras de Vincent Van Gogh com todos os sentidos. “Van Gogh Alive The experience” tem vindo a percorrer cidades como Xangai, Moscovo e Roma. A entrada para adultos tem o valor de 12€ e pode ser visitada entre as 10h e às 20h (5.ª a domingo) e das 10h às 21h (sexta e sábado) até ao fim do mês.

Após uma viagem de comboio com vista para o mar, é possível encontrar em Cascais outro tipo de recreações. Neste caso, Clara Andrade usa a técnica da “Colagem Analógica”, dando uma nova vida a papéis, antigos jornais e revistas. “(re)Creações” vai ser inaugurada dia 5 de agosto na Galeria de Arte da Freguesia de Cascais e Estoril, com entrada livre. Mais que apelar à preservação da mãe Natureza, através da exposição a autora mergulha num universo de criação livre de condicionantes, refletindo elementos da Natureza Humana.

A chegada de agosto traz também momentos de descontração. Até dia 28, “Eduardo Madeira convida … “ todas as segundas pelas 21:30 no Teatro Villaret colegas comediantes para noites de stand up comedy por 12€.

A contrastar com este improviso, damos destaque à peça de Nelson Cabral, enquanto dramaturgo, encenador e ator. Explorando o heterónimo de Pessoa Álvaro Campos, a peça “A Passagem das Horas”, com um único ator, chega ao Village Underground Lisboa entre os dias 25 de agosto e 3 de setembro em sessões de sexta a domingo às 22h.

Em últimas oportunidades temos: a exposição de Gheorge Fikl, artista romeno que traz com “Fikl. Encenações portuguesas” um registo com bases dadaístas com o toque provocador do movimento, patente desde Maio no Palácio Nacional da Ajuda, sairá de exibição no final deste mês; num registo de diário gráfico, Eduardo Salavisa, conhecido pelo seu envolvimento nos Urban Sketchers Portugal, tem expostos cadernos resultantes de uma viagem à América Latina até dia 31 na Casa do Mundo.

Posted in Artes Visuais and tagged , , , , , , .

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *