Dia de desespero em Cabul após a morte de mais de 100 pessoas em ataque terrorista

Este sábado ficou marcado pelo pior ataque terrorista em meses em Cabul, a capital afegã, depois de um bombista-suicida ter causado a morte de mais de 100 pessoas e ter ferido, pelo menos, 235 pessoas.

Mapa do Afeganistão [India Today].

De acordo com o Ministro do Interior afegão, Wais Barmak, no ataque estiveram envolvidos dois veículos pintados de ambulâncias, tendo um deles explodido num ponto de controlo policial. O ataque ocorreu numa das zonas da capital mais protegidas, próxima de embaixadas internacionais e edifícios governamentais. As autoridades já alertaram a população para a eventualidade de mais ataques pelo mesmo grupo.

A fação Talibã afegã que assumiu publicamente a autoria do ataque terrorista diz que este se tratou de uma mensagem para o presidente norte-americano, Donald Trump, que, o ano passado, enviou mais tropas para o país e ordenou um aumento dos ataques aéreos e maior assistência às forças militares afegãs.

“O Emirado Islâmico [nome que o grupo Talibã da região utiliza para se denominar] tem uma mensagem clara para Trump e para os seus bajuladores – se continuarem a política de agressão e falarem com armas, não esperem que os afegãos plantem flores em resposta”, afirmou o porta-voz dos Talibã, Zabihullah Mujahid.

O ataque foi criticado pelo responsável da missão das Nações Unidas no Afeganistão, assim como pelos países vizinhos e aliados. Após uma visita recente a Cabul, a embaixadora norte-americana para as Nações Unidas, Nikki Haley, afirmou que a estratégia americana tem obtido resultados positivos e tem aproximado as forças rebeldes de possíveis discussões de paz. Pelo contrário, os Talibã têm negado qualquer declaração norte-americana ou de aliados que aponte para um possível enfraquecimento das suas forças. O grupo terrorista afirma que apenas concordará em discutir a paz quando as forças militares internacionais saírem do país.

Coluna de fumo após a explosão de um veículo em Cabul a 27 de janeiro de 2018. Naweed Ahmad Shakoori [Reuters].

Os Talibã foram também, na semana passada, responsáveis por 20 vítimas mortais após um cerco ao Hotel Intercontinental em Cabul. Este é o pior ataque na capital desde maio de 2017, quando uma carrinha armadilhada explodiu perto da embaixada alemã, matando 150 pessoas. O Afeganistão declarou um dia de luto para este domingo e afirmou que a segunda-feira seria um dia de folga para cuidar das famílias das vítimas.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *