Fundação «O Século» é alvo de buscas pela PJ

A Fundação «O Século», em São Pedro do Estoril, apoia crianças, idosos e famílias carenciadas desde há quase 20 anos e, na passada quinta-feira, a Polícia Judiciária deslocou-se ao local devido a suspeitas de desvio de dinheiro e contratação abusiva de familiares.

As suspeitas recaem sobre a alegada utilização de cartões de crédito da instituição por parte do presidente e do vice-presidente da instituição para pagar jantares e viagens. Para além disso, existem dúvidas quanto à legalidade da contratação de funcionários, maioritariamente familiares dos dirigentes.

Segundo uma fonte da Procuradoria-Geral da República questionada pelo Jornal de Notícias, os crimes de peculato e abuso de poder aconteceram entre 2012 e ao presente.

O presidente da Fundação, Emanuel Martins, está de consciência tranquila a aguardar pelo resultado das buscas: “Investiguem o que houver para investigar e ajam em conformidade. Não temos de ficar contrariados com as investigações”. Apesar de a PJ ter apreendido alguns documentos, o presidente garante que não existem anomalias na gestão do organismo e que não foi constituído arguido.

O caso partiu de uma denúncia enviada às autoridades e, após o escândalo da Raríssimas, Emanuel Martins desvaloriza as acusações face aos últimos acontecimentos relacionados com algumas instituições de solidariedade social: “Somos um povo de modas. Ninguém se surpreende com as queixas que se fazem e no clima que estamos a viver é normal. Não estou preocupado com quem fez a queixa”. Ainda acusou a Câmara Municipal de Lisboa de ter ficado com 4,3 milhões de euros e de ter dado à fundação “apenas um milhão daquilo que devia”.

A Fundação “O Século” foi criada em 1998 para dar continuidade à Colónia Balnear, destinada a proporcionar férias a crianças desfavorecidas, que fora fundada em 1927 pelo então diretor do jornal “O Século”, João Pereira da Rosa.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *