Mais de 540 fogos registados desde 1 de outubro

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) registou mais de 540 fogos desde o início de outubro. A ausência de chuva e as temperaturas altas para a época vão continuar e contribuem para o risco de incêndio.

Entre 1 de outubro e esta sexta-feira foram registados 543 fogos. Segundo o comandante Pedro Nunes da ANPC, este número é preocupante. “Diria que este número nos causa alguma apreensão, porque quando olhamos para o período homólogo dos últimos dez anos, não temos registo de um número tão grande de ignições”, afirmou.

Sexta-feira foi um dia “relativamente calmo”, garantiu o comandante operacional à agência Lusa durante um “briefing” sobre a situação dos incêndios rurais na sede da ANPC. Os incêndios em Pampilhosa da Serra, distrito de Coimbra, e em Alcácer do Sal, distrito de Setúbal, criaram, mesmo assim, algum receio nesse dia.

O tempo seco e quente deverá manter-se durante os próximos dias, o que aumenta o risco de incêndio. Devido às condições meteorológicas, o governo prolongou o período crítico de incêndio até 15 de outubro.

Luís Capoulas Santos, ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, pediu aos agricultores e produtores florestais que não façam qualquer tipo de queima. Pedro Nunes também apela às populações rurais para aguardarem “pela altura mais correcta para fazerem estas queimas e queimadas, para as poderem fazer de forma segura”

O comandante da Proteção Civil realçou também o comportamento exemplar dos cidadãos durante o verão. Pedro Nunes pede que a tolerância zero quanto ao uso do fogo continue.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *