Márquez consegue mais uma vitória e aproxima-se do título

Foi um fim-de-semana quente na Tailândia, mas o piloto espanhol da Repsol Honda esteve, mais uma vez, à altura do desafio. Novo circuito, novos vencedores e novos recordes. Buriram foi uma caixinha de surpresas: emocionou o público e apaixonou os pilotos.

O circuito de Buriram, a cerca de 400 Km de Bangkok, na Tailândia, recebeu pela primeira vez, no passado fim-de-semana, os melhores do mundo das duas rodas. Já nos testes anteriormente realizados, os pilotos tinham mostrado especial agrado pelo traçado tailandês, que os surpreendeu assim que o experimentaram.

A primeira corrida do dia (Moto 3) começou com os termómetros a marcar mais de 30 graus.

Marco Bezzecchi, da Redox PruestelGP, partiu da pole position com os olhos postos na vitória que lhe poderia garantir a liderança do campeonato. Jorge Martin, o atual líder, partiu da 13ª posição. O piloto espanhol da Del Conca Gresini Moto3 não está a 100 % desde a lesão que contraiu no GP da República Checa. Foi então criada uma luva especial que permitiu a Martin uma maior facilidade de movimentos na mão esquerda, podendo assim participar na corrida.

Luva especialmente fabricada para Jorge Martin (Fonte: twitter.com/@88jorge martin)

Bezzecchi partiu bem e esteve durante toda a corrida nos lugares da frente. O grupo era muito grande e compacto e as trocas eram, por isso, constantes. Martin, porém, não estava a ter a mesma sorte. Logo no arranque caiu para 20º e a sua corrida foi, do início ao fim, um sofrido trabalho de recuperação. A quatro voltas do final, Martin já tinha alcançado o sétimo lugar mas, com Marco Bezzecchi a recuperar a liderança, o primeiro lugar da geral estava a fugir-lhe por entre os dedos.

O piloto espanhol, já em grande sofrimento, não desistiu e lutou até ao fim. Costuma dizer-se que a sorte favorece os audazes e foi precisamente o que aconteceu. Apesar de Bezzecchi estar a conseguir fazer uma boa corrida, o piloto italiano caiu na última curva num incidente com Enea Bastiannini, da Leopard Racing. Acabou por não somar nenhum ponto e Martin conseguiu atingir o quarto lugar na corrida ao 4º lugar. A celebração do espanhol foi tão efusiva e emocionante que parecia uma vitória. Para ele, foi. Continua na liderança do campeonato, agora um pouco mais folgada, com 26 pontos de vantagem para Bezzecchi.

A vitória foi de Fabio DiGiannantonio, da Del Conca Gresini Moto3, que está assim a apenas 3 pontos de Bezzecchi, em 3º lugar. Em segundo lugar ficou o piloto da Leopard Racing, Lorenzo Dalla Porta, e em 3º Denis Foggia, da SKY Racing Team VR46, que conseguiu o seu primeiro pódio.

Fabio DiGiannantonio vence em Moto3 (Fonte: MotoGP)

Em Moto 2, todos esperavam o duelo entre Miguel Oliveira, da RedBull KTM Ajo, e Francesco Bagnaia, da SKY Racing Team VR46, que disputam os lugares do topo do campeonato.

Os dois tiveram resultados bastante equilibrados durante o fim-de-semana, tendo saído do 5º e 6º lugares da grelha de partida, respetivamente.

Após o arranque, os dois pilotos chegaram rapidamente aos primeiros lugares. Um par de voltas depois já disputavam a liderança. Miguel Oliveira parecia mais seguro em cima da mota do que o italiano, chegando mesmo a estar na frente da corrida durante algum tempo.

No entanto, a 13 voltas no final, Bagnaia volta à liderança para não mais a largar. O português, que costuma ser melhor na parte final da corrida, parecia desconfortável em cima da mota, fazendo crer que algo estava errado.

Em segundo lugar e sem qualquer progressão, a vitória estava claramente perdida. Vendo o colega de equipa em apuros, Brad Binder, que estava em 3º lugar, manteve-se na retaguarda do português, tentando evitar a ultrapassagem de Luca Marini, também da SKY, que se aproximava.

Oliveira continuava a baixar o ritmo e a duas voltas do final já tinha Marini atrás de si. A ultrapassagem aconteceu já na última volta.

Os colegas de equipa, Francesco Bagnaia (à direita) e Luca Marini (à esquerda), celebram o 1º e 2º lugar no GP da Tailândia (Fonte: MotoGP)

A quatro corridas do final do campeonato, o português afasta-se da liderança, ficando a 28 pontos de Francesco Bagnaia que se tem mostrado implacável.

O fim está próximo mas nada está perdido. O português garante que não vai desistir e que continua na luta.

Miguel Oliveira alcança o pódio mas afasta-se da liderança do campeonato (Fonte: Soe Zeya Tun/Reuters)

Chegado o momento alto do dia, e com o público tailandês ao rubro, as estrelas saíram das boxes. Ninguém sabia o que esperar, mas uma coisa era certa: o espetáculo estava quase a começar. E não desiludiu.

Marc Marquez saiu da pole position ao lado do veteraníssimo Valentino Rossi, da Movistar Yamaha MotoGP. Andrea Dovizioso, da Ducati Team, partiu da 3ª posição na grelha de partida. Esperava-se um duelo de titãs.

Pouco depois do arranque, Rossi consegue colocar-se na liderança, à frente de Marquez, onde se manteve durante algum tempo.

Os excelentes tempos de Dovizioso e Marquez já faziam adivinhar aquilo que se seguiu. Rossi caiu para 3º e os dois subiram aos primeiros dois lugares, respetivamente.

Rossi parecia estar a perder algum ritmo e foi, como já se estava a fazer prever, ultrapassado pelo colega de equipa, Maverick Viñales. Lá na frente já se sabia que a vitória estaria nas mãos dos dois melhores classificados do campeonato.

A luta foi até ao cair do pano, numa última volta que parecia não ter fim. Dovizioso começou melhor, no entanto foi ultrapassado pelo espanhol. O italiano não se deixou ficar e retomou a liderança, mas foi na última curva que Marc Márquez conseguiu a vitória.

Márquez e Dovizioso cortaram a meta com apenas 0,115s de diferença( Fonte: PTJornal)

O piloto espanhol continua imparável e já soma 271 pontos, mais 77 que Dovizioso. O campeonato está na sua mão e na próxima corrida, em Montegi, no Japão, pode garantir a vitória.

O campeonato de 2018 aproxima-se do final mas ainda há muito para ver. O Moto GP permanece na Ásia para a próxima corrida, que terá lugar nos dias 19, 20 e 21 de Outubro, quando estamos a apenas 4 corridas do final.

Pódio da classe rainha. Marc Márquez (ao centro), Andrea Dovizioso (à direita) e Maverick Viñales (à esquerda) (Fonte: PTJornal)

 

Artigo corrigido por: Ângela Cardoso

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *