Quem disse que os ingleses não tinham sentido de humor?

Já deve ter ouvido falar deste fenómeno internacional, mas já ouviu toda a música que os STOMP fazem? Este grupo nasceu em Brighton, Inglaterra, em 1991, pelo ritmo de Luke Cresswell e Steve McNichols e está a encantar o mundo.

É fácil adivinhar o que é que o espetáculo dos STOMP nos reserva: barulho.

São 90 minutos, non-stop, de barulhos de tal maneira coordenados que é perfeitamente normal se começar a bater o pé ou a seguir o ritmo com a cabeça.

O palco enche-se com os sons de coisas que todos temos em casa. Eles trazem vassouras, caixas de fósforos, isqueiros e mesmo lava-loiças. Desengane-se se acha que vai ser um espetáculo fraquinho. Vai dar por si sentado à beira do seu assento, pois tudo é coordenado de maneira a sentirmos que fazemos parte.

Todos os passos dados no teatro contribuem para a próxima cena em que cada um dos 8 performers nos delicia com o seu ritmo. Um espetáculo onde luz, dança e, principalmente, sons ganham destaque num aparentemente pequeno palco cheio de tachos e panelas, bidões e baldes, caixas e caixotes.

Tem até 25 de fevereiro para ir até Teatro Tivoli BBVA, na Avenida da Liberdade, em Lisboa, para ouvir o ritmo que este grupo tem em si.

Os bilhetes vão de 15 a 35€ e as sessões são às 21:30, sendo que, no penúltimo dia de música, há uma sessão às 16:30.

É um espetáculo que vale muito a pena. Com muito humor, estes 8 dançarinos dão tudo no palco. São cheios de personalidade e energia.

Estes 8 talentosos artistas, dos quais 2 mulheres, juntam o clássico ao contemporâneo: o sapateado e movimentos modernos muito desafiantes.

Se conceder a si próprio a aventura musical de ir a este espetáculo repleto de surpresas, vai sair do Teatro a prestar atenção a qualquer som que ouvir, pois entenderá que tudo é música.

Posted in Capital and tagged , , , , , , .

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *