Revival – Eminem, o rap god multifacetado

Após quatro anos sem lançar música, Eminem volta com Revival – o álbum mais incoerente do artista.

Revival é o álbum mais controverso da carreira de Eminem: as diferentes faixas passam por declarações políticas, hinos antirracistas e raps vulgares sobre mulheres. “A verdade é que saltar de um assunto para outro completamente diferente é um ato de equilíbrio… Estou a tentar dar um pouco de música a toda a gente”, disse o cantor à revista Vulture.

Entre as 19 canções, 8 são colaborações com artistas pop, algo novo no trabalho do artista.

O rap god do século XXI abre o seu disco com Walk On Water, uma melodia de um piano, acompanhada com os vocais da cantora Beyoncé. A fusão do pop com o rap é suave e agradável, conjugada com uma letra profunda que expõe o artista de forma vulnerável.

O grande destaque vai para Untouchable, de uma forma dinâmica e inteligente, o artista fala sobre a White America. No primeiro verso, o rapper veste a pele de um polícia branco racista cujo principal objetivo é aterrorizar “miúdos” negros dentro das suas próprias comunidades. Depois de um refrão que fica no ouvido, Eminem fala da perspetiva de um homem negro do século XXI sobre os problemas de segregação, delinquência e brutalidade policial. Também nesta faixa, o artista demonstra a sua posição política mais ousada afirmando que está completamente contra posições republicanas.

Num tom mais calmo e suave é apresentada a faixa River, uma colaboração com Ed Sheeran. A letra tem uma grande carga emocional, falando sobre traição e um amor proibido. Muitos fãs de Eminem criticaram a canção porque a considerarem mainstream, devido ao seu tom mais melancólico e pela participação do maior artista pop do momento.

Remind Me seria apenas mais uma música vulgar sobre como as mulheres são vistas pela grande maioria dos rappers atuais, constantemente referidas como objetos sexuais, se não fosse pelo plot twist que o artista acrescentou. Durante o refrão, conseguimos ouvir partes do famoso êxito da cantora Joan Jett, I Love Rock&Roll, que dá um tom mais roqueiro a toda a canção.

“All he does is watch Fox News like a parrot and repeats / While he looks like a canary with a beak / Why you think he banned transgenders from the military with a tweet”: na letra da música Like Home, juntamente com Alicia Keys, dá conta da situação da política americana e da emergência em tirar o atual presidente americano do poder. Eminem já havia partilhado a sua opinião sobre Trump meses antes num freestyle rap.

Em faixas como In Your Head, Castle e Arose, Eminem revive as memórias da sua filha Hayley, da sua overdose e dos tempos mais escuros da sua carreira, referindo até o momento das gravações do seu antigo álbum, Recovery.

Apesar de algumas faixas fracas e pouco complexas, o artista de 45 anos revelou estar pronto para voltar aos holofotes com Revival. Seja com pop, rock ou hip hop cru, Eminem mostrou, mais uma vez, ser um dos melhores escritores musicais e rappers americanos.

 

You don’t have to know our plans or what our intentions are. Our cards are close to our chest, you better show your hands.

Posted in Música and tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , .

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *