• 7ª Arte

    LEFFEST: O ‘Meta’ Desprezo de Godard

    Penúltimo dia do Lisboa & Estoril Film Festival e prosseguia a merecida homenagem a Jean-Luc Godard. O destaque da sessão deste sábado vai para O Desprezo, uma das primeiras obras do cineasta francês e também uma das mais aclamadas do seu currículo. Realizado em 1963, baseando-se na premissa do romance de Alberto Moravia, também do mesmo nome, O Desprezo engloba um conjunto de temáticas que são visadas de modo satírico e que culminam num ensaio existencial sobre a vida e o amor – algo em que Godard era (e ainda é) mestre. A sua genialidade evidencia-se logo na primeira metade da narrativa, onde se debruça sobre o estado da sétima…

  • Música

    Bon Jovi: o renascimento das cinzas

    This House Is Not For Sale é o décimo terceiro álbum dos Bon Jovi, banda de hard rock norte-americana que, devido à saída do guitarrista Richie Sambora em 2013 por motivos cujos contornos são dúbios, foi condenada ao questionamento constante do seu futuro. Contudo, três anos após esta grande baixa de peso, o grupo fundado nos anos oitenta já alcançou o lugar nº 1 da Billboard. Qual será o segredo para o sucesso dos rapazes de New Jersey? Corria o ano de 1983 quando John Bongiovi, Tico Torres e David Bryan se uniram sob a égide inquebrável da sua amizade. Poucos meses mais tarde, Richie Sambora viria a sentir-se cativado…

  • Literatura

    “Quem diabo é este Deus que, para enaltecer Abel, despreza Caim?”

    “Caim”, lançado em 2009, foi o último livro publicado por José Saramago e um dos seus trabalhos mais controversos. Laureado com o Nobel da Literatura em 1998, o escritor ribatejano nascido em 1922 sempre viu a sua escrita envolta em numerosas controvérsias, que em nada afetaram a sua maneira de ser ou de escrever. Por isso mesmo, Saramago mudou-se para Lanzarote, nas Canárias, talvez para fugir de todo o criticismo de que era alvo em Portugal, talvez por a sua personalidade literária requerer um lugar inóspito e refugiado de tudo o resto para poder criar. A verdade? Pouco importa, tanto para mais quando estamos perante um verdadeiro monumento da literatura…