• Opinião

    Triplo Salto

    Há dias li um artigo em que era dito que os professores de Educação Física estavam descontentes com o desinvestimento na disciplina em prol de outras como a Matemática ou o Português. O Governo retirou 30 minutos de carga horária semanal de Educação Física (de 180 minutos passou-se para 150) e a disciplina não conta para a média. Não sei exactamente quando é que estas medidas entraram em vigor (se calhar, o facto de não ter ido procurar é causado pelo sedentarismo), mas são as que causam mais revolta. Eu consigo perceber a indignação dos professores. Talvez se tivéssemos mais horas de Educação Física conseguíssemos correr com a crise e…

  • Opinião

    Ano Novo, Vida Nova

    Permitam-me que inicie esta crónica cumprindo o protocolo e mostrando desconforto. Cumpro o protocolo dizendo-vos que tinha muitas saudades vossas, dado que já não vos escrevia desde o ano passado. Gostava, também, de mostrar desconforto por não saber se ainda é suposto estar tudo a correr bem com a minha vida. Houve pessoas que me desejaram umas boas entradas e eu não sei quando é que se considera o fim das entradas – logo após a meia-noite? No dia 2? No início de Fevereiro? Quero aproveitar também para dar força a todas aquelas pessoas que nos últimos quatro dias aproveitaram para se candidatar a um lugar cativo no céu: não…

  • Opinião

    3,2,1… Feliz Ano Novo!

    O Ano Novo é uma daquelas celebrações que me agastam por causa de algumas coisas que eu não consigo compreender, apesar de eu achar imensa piada às gigantescas sequências de peças de dominó a cair umas atrás das outras na China. Uma das coisas que eu não consigo compreender, e que até me fere os ouvidos e a alma, é ouvir pessoas a dizer “passar a Passagem de Ano”. Para mim, isto é motivo para cancelar a festividade e ficar preso em 2014 para sempre. Passem o Natal, passem a Páscoa, passem o Dia da Espiga, mas celebrem (apenas) a Passagem de Ano. Outra coisa que não compreendo, mas à…

  • Opinião

    Fazer Melhor o Bem

    Este texto é uma reflexão. Não o digo com presunção. A lua também reflecte e, embora seja brilhante, não é por isso que achamos que ela é convencida. O Natal é a altura do ano em que, provavelmente, ouvimos a palavra “solidariedade” mais vezes. Eu podia começar já a criticar dizendo que se pode ser solidário todo o ano e não é preciso chegar Dezembro para ajudarmos outras pessoas, mas não é sobre isso que me quero debruçar. A minha reflexão começa um pouco mais atrás: estamos verdadeiramente a ser solidários nas campanhas mais conhecidas de Natal? Comecemos pelo exemplo dos livros, em que metade do valor reverte a favor…

  • Opinião

    Está tudo acabado entre nós, Alberto

    O serviço público de televisão é um daqueles assuntos que pode estar sempre na berlinda. Há opiniões para todos os gostos e é recorrente ouvir “eu não pago um canal para eles darem isto”. Claro que todos nós pagamos a RTP, mas há aqui uma certa confusão: a RTP não existe para preencher os gostos de quem a paga. Isso seria impossível, por um lado, e, por outro, a função da RTP é garantir o serviço público por mais desinteressante que “Bem-vindos a Beirais” nos possa parecer. O verdadeiro problema reside nas diferentes interpretações do que é o serviço público. A recente polémica sobre a compra dos direitos de transmissão…

  • Opinião

    Urbi et obras: Ponto Final

    Não há nada mais antipatriótico do que escrever ou falar mal a língua nativa. No caso da língua portuguesa, para mim, é ainda mais grave. A nossa língua é, muito provavelmente, a maior marca cultural que espalhámos pelo mundo, tendo em conta o número de falantes. Por outro lado, é das poucas coisas que ainda mantemos (embora com alterações) dos tempos mais gloriosos da pátria. Qualquer pessoa pode dar um erro. É, também, perfeitamente normal que pessoas sem formação dêem alguns erros. Estranho é ver pessoas dar erros e ficarem ofendidas quando são corrigidas. Normalmente, dizem coisas como “Percebeste, não percebeste? Então, pronto”. Não é uma questão de se perceber…

  • Opinião

    Hienas, Smarts e Josés

    Aviso prévio: esta crónica não está assente em nenhuma ideologia política. Pode causar alguns efeitos secundários, como estranheza, confusão ou surpresa. Em caso de agravamento ou persistência dos sintomas, consulte o seu médico ou farmacêutico. Se eu tivesse de confiar a minha vida a um político português, certamente que não seria ao José Sócrates. Para dizer a verdade, não confiaria a minha vida a nenhum político. No caso de Sócrates, já não é de agora, nem tão pouco da altura em que ele era Primeiro-Ministro. Não significa, porém, que eu possa falar dele como culpado. Começando pelos jornalistas, passando pelos comentadores políticos e terminando nos populares raivosos do facebook, todos…

  • Opinião

    Legionellagate

    O recente surto de Legionella tem dado muito que falar e, por isso mesmo, é a melhor notícia dos últimos tempos para o Governo. Enquanto as pessoas falam disto e tomam banho de porta aberta para não fazerem vapor de água, não falam do Governo. Eu lamento, devo dizer. Queria ver as pessoas a falar sobre o Pires de Lima ter parecido um ventríloquo na Assembleia da República, mas, por outro lado, podia levantar-se sempre a questão de quem era a mão que o manipulava (e todos sabemos por onde são manipulados os ventríloquos) e era desagradável. Ser o Donaltim não é fácil. O Governo tem razões para celebrar a…

  • Opinião

    República dos Bananas

    Era uma vez quatro amigos – uma gazela, um rouxinol, um macaco e um papagaio. Os quatro amigos eram bem diferentes uns dos outros, mas tinham uma coisa em comum: viviam todos na República das Bananas. Certo dia, as bananas, que davam nome à República, começaram a escassear. A situação era deveras alarmante. Ouvia-se falar no assunto um pouco por todo o lado. Não havia dúvidas! Tratava-se de uma crise como nunca antes se vira. Quando se começou a aproximar o tempo quente, os amigos começaram a convidar-se para eventos. A gazela convidou-os para assistirem à grande final do campeonato de frutabol da República das Bananas. Um épico Sociedade Desportiva…

  • Opinião

    Bizarria Mundial

    Cerca de um mês antes de começar uma grande competição de selecções, são muitas as questões que qualquer pessoa interessada no assunto quer ver respondidas. Quem são os favoritos? Em que sistema táctico vai jogar a selecção A e a selecção B? Os lesionados vão recuperar? As pessoas estão com a selecção do seu país? O país que recebe a prova está preparado para a receber? Tudo isto passa um pouco ao lado. Entramos numa outra dimensão. Uma dimensão esquizofrénica da cobertura mediática do evento. E não me refiro apenas à extenuação de termos de saber os ciclos de sono dos jogadores juntamente com os seus hábitos de leitura, os…