• Literatura

    José Miguel Costa: “Escrever este livro não foi um sonho apenas meu, mas também de todas as pessoas da minha terra”

    História, devoção e futuro: é através destas três palavras que José Miguel Costa descreve a sua terra. O jovem de 21 anos, natural de Santa Bárbara de Padrões, uma aldeia situada em Castro Verde, no distrito de Beja, Alentejo, escreveu e publicou, no ano de 2018, uma monografia sobre a freguesia homónima – “Santa Bárbara de Padrões – a Identidade de uma Freguesia” –, a qual descreve como sendo “uma declaração de amor” à sua terra. José Miguel Costa, que tinha somente 18 anos quando deu início ao processo que resultaria nesta obra, afirma que o seu objetivo sempre foi registar a história local, as suas gentes, as tradições e…

  • Literatura

    O Sol e as suas flores: quando o óbvio é doloroso

    Há alguma coisa de amargo no exercício de encararmos o óbvio e durante a leitura de “O sol e as suas flores”, de Rupi Kaur, somos constantemente colocados frente a frente com esse facto. Comecei o mês com uma missão: ler poesia. Parece um exercício de parca força, quando colocado nestes termos, mas o que sempre me massacrou na poesia foi aquilo que não estava escrito e, pior que isso, aquilo que não estava escrito e precisava de suporte biográfico para ser compreendido. Com Kaur acontece o contrário: o exercício de caça aos sentidos está alerta, mas não procuramos no outro ou nas suas vivências – precisamos de nos virar…

  • Literatura

    Bibliotecas de Lisboa reinventam-se, com aposta em atividades online

    Devido ao escalar da pandemia de COVID-19 e ao confinamento que dela resultou, pessoas que utilizavam os serviços das bibliotecas municipais para requisitar livros, para não terem de os comprar, ficaram sem acesso a este serviço. Foi por isso que a rede de Bibliotecas de Lisboa decidiu criar o projeto “BLX à sua porta”. Este projeto pretende dar continuidade ao trabalho desenvolvido pelas bibliotecas da cidade, com o objetivo de promover o desenvolvimento cultural das populações, proporcionando o acesso à coleção neste tempo de pandemia. Este projeto foi bem recebido pela maioria das bibliotecas que são parte da Rede Nacional de Bibliotecas Públicas (RNBP), com mais de metade delas –…

  • Literatura

    Literatura confinada

    Como já tem sido referido noutros artigos, as restrições impostas devido à nossa situação atual dificultam o acesso a serviços que não são considerados indispensáveis, como é o caso, infelizmente, do setor cultural, que tem vindo a ser cada vez mais prejudicado. No caso da Literatura, com o encerramento das bibliotecas e de grande parte das livrarias, estão a ser desenvolvidas novas estratégias, por parte de algumas instituições, de forma a poder interagir com a população, mesmo quando nos é pedido para ficar em casa. Neste artigo serão apresentadas algumas alternativas para manter o contacto com a cultura. Bibliotecas online Para quem prefere ler livros em formato digital e/ou outras…

  • Literatura

    No mês de março voltamos a ver o “Sol…e as Suas Flores”

    Quando alguém fala em “Clube do Livro”, lembro-me imediatamente daquelas subscrições que se faziam a revistas, na viragem do milénio. Essa memória vem geralmente acompanhada de uma atividade, muito comum hoje em dia, depois da estreia de mais um episódio da nossa série favorita: aquela conversa coletiva que inclui sempre dois ou três pontos de vista diferentes e que acaba num revirar de olhos, meio simpático, meio “não percebeste nada”.  Atualmente, a leitura é uma atividade fragmentada, muitas vezes solitária, mas precisa mesmo de ser assim? Não. Aliás, para um bom bibliófilo, nada é mais interessante do que encontrar um bookclub onde, de uma forma muito geração Z, se possa…

  • Literatura

    A Arte Subtil de Saber Dizer Que Se F*da à pandemia

    Quantas vezes, durante as diferentes etapas de confinamento pelas quais já passámos desde março de 2020, fomos espreitar a nossa prateleira dos livros (não estou nem sequer a perguntar quantos é que, efetivamente, lemos, pois isso daria assunto para outro artigo)? Eu já o fiz várias vezes. Da última vez, houve um livro em especial que prendeu a minha atenção: A Arte Subtil de Saber Dizer Que Se F*da, do autor norte-americano Mark Manson. Apesar de já o ter ‘devorado’ em 2018, ano em que a tradução portuguesa foi publicada através da chancela Desassossego do grupo editorial Saída de Emergência (a obra original fora publicada dois anos antes), não pude…

  • Literatura

    E viveram todos infelizes para sempre

    “E viveram todos infelizes para sempre” Ora aqui está uma frase que raramente lemos e que muito menos surge atrelada à capa de um livro.  O processo que envolve a escolha de um livro, independentemente da sinopse, contém uma grande dose de expetativa e, por muito sombrio que seja o género, uma esperança de que o protagonista chegue às últimas páginas feliz.  No entanto, finais tristes têm um poder de sedução capaz de nos manter acordados até tarde; por isso, no final do mês do amor, aqui vão 5 livros cujos finais não foram muito felizes. Na Praia de Chesil, de Ian McEwan Numa Inglaterra cheia de costumes e princípios,…

  • Literatura

    Sófocles, Balsemão e Anthony Zuiker entram num bar

    No livro A Interpretação dos Sonhos, Sigmund Freud, o primeiro psicanalista de que há memória, escreveu: “O seu destino [de Édipo] move-nos apenas porque poderia ter sido o nosso – porque o oráculo lançou sobre nós a mesma maldição antes do nosso nascimento. É o destino de todos nós, talvez, direcionar nosso primeiro impulso sexual para a nossa mãe e nosso primeiro ódio e nosso primeiro desejo assassino contra nosso pai. Nossos sonhos nos convencem de que é assim.” Começo por aqui, porque, por muito bizarro que possa parecer, atualmente, Freud é mais famoso do que Sófocles, o autor da peça Rei Édipo, que reconstrói o mito helénico de Édipo,…

  • Literatura

    Brave New World e as profecias improváveis

    Por ser um clássico da Literatura universal, Brave New World, publicado em 1932 por Aldous Huxley, é uma obra para a qual eu já tinha sido preparado durante vários anos. A sua leitura poderia, assim, afigurar-se uma mera formalidade. Tal, felizmente, não aconteceu. Sabia de antemão que narrava a história de uma sociedade futurista, utópica ou distópica, dependendo do ponto de vista, com um potencial profético assinalável. Para ser justo, não se pode dizer que, quase um século volvido, a estrutura social do livro se verifique na realidade. Isso poderia constituir uma observação otimista. Porém, é preciso ressalvar duas coisas. Huxley prevê que esta será uma realidade em 2540, segundo…

  • Literatura

    O poder do revisor na Literatura

    A comunicação escrita já existe na vida do Homem há muitos, muitos anos. Desde a escrita em paredes, manuscritos, máquinas de escrever e atualmente em computadores, esta forma de expressão não podia deixar de ser tão importante.  Já se questionaram como seria a vida sem a escrita? Não existiriam livros e cartas,  nem mesmo mensagens textuais. Só existiria o desenho e a oralidade. Como iríamos suportar isso?  Como a escrita existe e é muito bem conhecida por todos, é um bem essencial a que recorremos diariamente, seja para escrever uma SMS, seja para deixar um recado ou escrever uma dissertação. A escrita é usada em vários aspetos da nossa vida.…