• Media

    “Ordem Moral”: não é maluca, só não é submissa

    Maria Adelaide Coelho da Cunha era, em 1918, a herdeira do Jornal Diário de Notícias. Uma mulher da alta sociedade que não segue a Ordem Moral, devido às suas atitudes incomuns para a época. Aproxima-se e cuida dos doentes, mantém amizades com empregados, interessa-se pela arte do teatro e tem convicções feministas. Logo nas primeiras cenas desta pequena série, coordena uma peça com as suas amigas. Esta peça, mais tarde, acaba por ser elogiada pelo seu caráter revolucionário, especialmente porque inclui mulheres que representam papéis masculinos, algo que, segundo Maria Adelaide, serviu “para me vingar do tempo em que os papéis de mulheres eram dados aos homens”. Era alvo de…

  • Media

    “Alice in Borderland”: o que farias pela tua sobrevivência?

    E se, de repente, acordasses numa realidade paralela, em que toda a gente tivesse desaparecido? É esta a premissa do sucesso japonês da Netflix “Alice in Borderland”. Protagonizada por Kento Yamazaki e Tao Tsuchiya, esta série é inspirada no mangá com o mesmo nome e narra a história de Ryōhei Arisu: um adolescente viciado em videojogos. Arisu costuma sair com os seus amigos: Karube, um adolescente rebelde que trabalha num bar, e Chota, um jovem introvertido e inocente. Porém, o inesperado acontece quando percebem que a cidade de Tóquio se encontra completamente deserta. Sozinhos neste mundo paralelo, e sem entender o que aconteceu e como chegaram até ali, os três amigos são forçados…

  • Media

    O Joey é a pior personagem do Friends! Change my mind…

    Friends foi uma série americana criada por David Crane e Marta Kauffman, exibida de 1994 a 2004, que segue a vida de 6 amigos e as suas aventuras semi-realistas enquanto jovens-adultos em Nova Iorque. A chave do seu sucesso duradouro? As suas personagens – Monica, Chandler, Rachel, Ross, Phoebe e, o objeto de análise deste artigo, Joey. Quero começar por dizer que não odeio o Joey. Aliás, gosto dele o suficiente para o conseguir ver e defender contra o tratamento que teve enquanto personagem. Não só foi longe do que merecia enquanto pessoa, como ainda mais distante daquilo que fazia sentido com o que nos foi dado como 10 anos…

  • Media

    “Sky Rojo” e o mundo da prostituição

    Dos criadores de “La Casa de Papel”, “Sky Rojo” retrata a história de três prostitutas: Coral (Verónica Sánchez), Wendy (Lali Espósito) e Gina (Yany Prado). A série é espanhola e conta com muitos outros atores. A nova série da Netflix foi lançada a 19 de março deste ano e a segunda temporada sai já a 23 de julho. A premissa da série mostra o perigoso mundo da prostituição. As três prostitutas veem-se envolvidas numa perseguição: Romeu (Asier Etxeandia), o dono do bordel, quer apanhar as três mulheres para as fazer pagar pelos eventos do primeiro episódio. Este manda os seus lacaios, os irmãos Moisés (Miguel Ángel Silvestre) e Christian (Enric…

  • Media

    Jane by Design: Um verdadeiro tesouro escondido

    Jane by Design estreou em 2012 etem apenas uma temporada de 18 episódios. Produzida pela ABC Family, a série chegou a ser transmitida em Portugal na Fox Life. Semelhante a produções como The Carrie Diaries ou The Devil Wears Prada, Jane by Design não alcançou um grande sucesso. Isto leva-me a querer que a série ainda é um verdadeiro tesouro escondido. Jane by Design mostra-nos um pouco do mundo da moda, romances e vidas secretas… A adolescente Jane Quimby (Erica Dasher) é a personagem principal e vive uma vida dupla: dividida entre a escola e o trabalho. Desde o primeiro episódio, destaca-se a subtileza e leveza do papel que Erica…

  • Media

    Ginny & Georgia: muito além de Gilmore Girls

    Lançada no final de fevereiro, Ginny & Georgia foi uma das mais recentes estreias da Netflix e já se tornou num grande sucesso. Ainda antes da estreia, grande parte do público achou que era uma versão semelhante e barata de um dos maiores êxitos da década de 2000: Gilmore Girls. Mas não é e isso é bom! Sinopse Dividida em dez episódios de quase uma hora de duração, a narrativa escrita por Brianna Belser, Mike Gauyo e Sarah Lampert tem como premissa uma mãe, Georgia Miller (Brianne Howey), que, após um acidente que matou o seu marido, resolve mudar-se para uma pacata e pitoresca cidade chamada Wellsbury e recomeçar a…

  • Media

    “Gypsy” – Uma Série que quebra a ética da psicologia

    Estreou na Netflix em 2017 e até agora conta com uma temporada apenas, sem garantia de uma segunda. “Gypsy” traduzido para português significa “cigana” e é o que remete para a personagem principal, Jean. Tal como a comunidade cigana é conhecida pela sua vida nómada, a protagonista também é conhecida pelo mesmo, mas com uma particularidade diferente: ela não é uma nómada de lugares, mas de personalidades.  Jean é uma psicóloga que, apesar de misteriosa, aparenta ter uma vida completamente normal, com um casamento estável, com Michael, e uma filha, Dolly, que foge dos padrões estabelecidos pela sociedade relativamente ao seu género. Porém, a vida da psicóloga não é tão…

  • Media

    “O Clube”: a exclusiva e luxuosa vida noturna em Lisboa

    NOTA: Este artigo contém spoilers! São cada vez mais as apostas no mundo do streaming e parece que em Portugal não é diferente. Com a chegada da nova plataforma “OPTO”, da SIC, nos finais de 2020, várias produções nacionais têm feito um grande sucesso. O Clube é uma dessas excelentes apostas que, num ambiente repleto de erotismo, retrata a vida noturna em Lisboa e os segredos que todos desconhecem. Com um elenco de luxo, esta série centra-se no bar de alterne mais famoso da capital – o Clube –, que é frequentado por figuras mediáticas, como empresários, políticos ou jogadores de futebol que procuram a companhia das mulheres mais cobiçadas…

  • Media

    Allen V Farrow: Da Fama às alegações de Pedofilia

    Woody Allen é tão famoso pelo seu trabalho na sétima arte como pelas alegações de pedofilia de que foi alvo e pelo seu controverso casamento. O novo documentário da HBO “Farrow v Allen” retrata como Woody Allen passou de realizador e ator acarinhado pelo público para ser reconhecido pelas acusações na praça pública, algo que começou na década de 90, mas que vive até aos dias de hoje graças também ao movimento #MeToo. Esta é uma narrativa contada sobretudo por Mia Farrow e pelos seus familiares e amigos, mas conta com depoimentos de Woody Allen retirados da sua biografia, em formato áudio, publicada em 2020, que intitula Apropos of Nothing.…