• Opinião

    As tradições transformam-se

    O progresso rompe cada vez mais, de forma imediata, com normas tradicionais. Isso resulta numa defesa acérrima da tradição, em detrimento de um caminho para uma sociedade que evolui e se transforma de acordo com o conhecimento que vamos adquirindo. O progresso da sociedade não significa, necessariamente, acabar com as tradições. Significa, sim, transformá-las.             Desde 2019 que o Conselho de Veteranos da Universidade de Coimbra iniciou um processo de revisão do Código de Praxe da Universidade de Coimbra. A 21 de abril deste ano, terminou a etapa de consulta pública com a recolha de sugestões da comunidade académica. Uma das sugestões foi materializada através de uma petição pública com…

  • Opinião

    Raios partam as pessoas que amamos por terem de morrer

    “Como é que se esquece alguém que se ama? Como é que se esquece alguém que nos faz falta e que nos custa mais lembrar que viver? Quando alguém se vai embora de repente como é que se faz para ficar?” Não sou eu quem o questiona, é Miguel Esteves Cardoso. Se calhar, até podia ter sido eu a escrever isto, à minha maneira, porque o senti e sinto. Este foi dos primeiros textos sobre a morte e sobre o processo de luto que li depois de eu própria ter sofrido na pele a perda irreparável de alguém que amo. No humor que lhe é (re)conhecido, Esteves Cardoso diz-nos aquilo…

  • Opinião

    ? – O jardim dos caminhos que não têm saída

    Há um grande equívoco na Humanidade. Quando ela se ergueu em duas patas e inventou o fogo e a lança, é possível, e provável, que tenha achado que, eventualmente, um dia resolveria todos os dilemas do mundo: desde os principais, como a criação do mundo ou a existência de Deus, até aos problemas de menor importância, como por que razão o corpo humano conduz a corrente elétrica. Ainda assim, descobriram-se algumas coisas importantes: não estamos no centro do universo, nem sequer no centro do Sistema Solar. Permanecemos, porém, na crença de que estamos no centro da Terra, no sentido em que dominamos tecnicamente os recursos ao nosso dispor, bem como…

  • Opinião

    Ser cristão, mas com uma pala nos olhos

    Na Sexta-Feira Santa, Pedro dos Santos Frazão – militante do partido Chega – mostrou a sua indignação nas redes sociais pelo facto de Manuel Luís Goucha estar a comer carne no seu programa de televisão, com o seu marido e uma convidada. Em primeiro lugar, conseguimos perceber que os militantes do Chega não perdem tempo com temáticas menores como a pobreza, os efeitos da pandemia na classe média e baixa, as moratórias ou o desemprego. O que tira o sono a Pedro dos Santos Frazão são proteínas. A diversidade de temáticas que interessam ao Chega são fascinantes – tanto se indignam com ciganos e recusam-lhes direitos, como se indignam com…

  • Opinião

    Os 35 Anos de Chernobyl e o Incontestável Preço da Energia Nuclear

    É indevido falar-se de desastres sem mencionar o de Chernobyl. Em memória do maior acidente nuclear da História, e em homenagem a todas as vítimas que perderam a vida durante o mesmo, assinala-se hoje o Dia Internacional de Lembrança de Chernobyl e o seu trigésimo quinto aniversário.  A Usina de Chernobyl, localizada na Ucrânia, na fronteira com a Bielorrússia, foi construída pela União Soviética na década de 1970. A 26 de Abril de 1986, os habitantes da cidade de Pripyat – a mais próxima da central nuclear, atualmente designada como cidade fantasma – observaram uma explosão de grande importância.  A origem do desastreA explosão ocorreu ao nível do núcleo do…

  • Opinião

    A arte fútil de ser famoso

    Não muito longe dos dias de hoje, em Portugal, revistas como a Lux e a Maria começaram a ganhar presença na sociedade e no quotidiano dos interessados na privacidade alheia. Se um dia acordasse com vontade de saber como teria corrido o encontro amoroso da Alexandra Lencastre ou que vestimenta a Lili Caneças teria optado por usar no seu passeio matinal, bastava deslocar-me ao quiosque mais próximo. As lantejoulas radiantes caídas pelo torso das famosas ofuscariam parcialmente qualquer conflito ou crise económica que pudesse afetar o país. E qualquer pessoa poderia ser alvo dessa cegueira. Creio que Woody Allen não conhece uma única socialite portuguesa. No entanto, arrisco-me a dizer…

  • Opinião

    Deixa o mundo um bocadinho melhor do que como o encontraste

     Quando pensas num escoteiro, qual é a imagem que te vem à cabeça?  Provavelmente aqueles miúdos numa farda ridícula que ajudam velhotas a atravessar a passadeira. Também há aquelas meninas chatas que usam calções e meias altas no inverno que te batem à porta para vender bolos e bugigangas. Felizmente, o Escotismo é muito mais do que estes estereótipos em que o encaixam. Hoje pretendo desmistificar as razões que levam tanta gente a juntar-se a este movimento aparentemente pouco apelativo.  Neste dia, em 1907, deu-se o seu início, algo que teria impacto até aos dias de hoje, afetando mais de 50 milhões de jovens pelo mundo fora. Graças a Robert…

  • Opinião

    O mediatismo e o insólito acima do conteúdo político

    Vivemos num momento em que o conteúdo das propostas políticas perdeu importância. Curiosamente, antes as pessoas saíam da política e iam para a televisão. Agora, é o inverso. O mediatismo passou a ser critério na escolha de candidatos políticos. Vimos isso nos casos de Nuno Graciano, candidato do Chega a Lisboa, e de Suzana Garcia, candidata do PSD à Amadora. Há aqui uma opção por candidatos que vão gerar muita atenção mediática, muitos cliques, muitas peças televisivas, mas cujo pensamento político é pouco trabalhado. Isto deve fazer-nos refletir sobre a forma como a política está a usar o insólito que é indiscutivelmente um valor-notícia, para manobrar os media. Os media…

  • Opinião

    Manifestação sem máscaras: o respeito é o pré-requisito da liberdade

    Como diz na minha descrição de autora, procuro sempre desafiar-me na escrita e o grande desafio deste artigo foi: como escrever sobre a parvoíce que foi a manifestação de dia 20 de março sem chamar parvoíce, insinuando que todos aqueles que participaram ou concordaram são parvos? Bem, chamem-me Tom Cruise, porque esta é uma Missão Impossível. O protesto fez parte do movimento World Wide Demonstration, que promoveu já vários protestos semelhantes por todo o mundo – não sei se ache confortante o facto de não ser um defeito exclusivo do povo português ou se hei de ficar preocupada pela escala global da parvoíce. Eu entendo que as pessoas estejam frustradas…

  • Opinião

    Dia Mundial da Voz – por uma causa que precisa de ser ouvida

    O Dia Mundial da Voz celebra-se, desde 2003, a 16 de abril. A data tem como objetivo alertar para a importância da voz e para quais os cuidados necessários para a preservar. No entanto, preferi comemorar o dia com uma perspetiva diferente e ser a voz de uma causa que precisa cada vez mais de ser escutada. Quando era mais nova, sempre pensei que fosse fácil sermos ouvidas – sim, falo apenas no feminino, porque é por nós, mulheres, que escrevo este artigo. Sempre pensei que a minha opinião seria aceite, mesmo que nem todos concordassem com ela; que os meus medos e receios fossem válidos, mesmo que nem todos…