Atualidade

Adeus, Mário Soares

Depois de ter sido internado no passado dia 13, o antigo Presidente da República, Mário Soares, morreu hoje.

Aos 92 anos, Mário Soares, antigo presidente da República e fundador do PS faleceu hoje, no Hospital da Cruz Vermelha.

Nascido em Lisboa, a 7 de dezembro de 1924, Mário Alberto Nobre Lopes Soares iniciou o seu percurso político ainda enquanto estudante da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Ativo opositor ao regime e à ditadura, esteve presente e foi uma peça essencial na organização da oposição democrática ao salazarismo.

Integrou o MUNAF (Movimento de Unidade Nacional Anti-Fascista) em maio de 1943, foi membro da Comissão Central do MUD (Movimento de Unidade Democrática) em 1946 – tendo sido fundador do MUD Juvenil e membro da primeira Comissão Central. Foi também Secretário da Comissão Central da Candidatura do General Norton de Matos à Presidência da República em 1949 e fez parte do Directório Democrático-Social (1955). Em 1958, pertenceu à Comissão da Candidatura do General Humberto Delgado à Presidência da República.

Como consequência da sua catividade política contra o Estado Novo foi preso doze vezes pela PIDE, num total de quase 3 anos de cadeia e deportado para a ilha de São Tomé em 1968.

Concluída a sua licenciatura em Ciências Histórico-Filosóficas no ano de 1951, ingressa, de seguida, no curso de Direito, que conclui em 1957. No seu percurso como advogado, defendeu vários opositores ao regime.

Em 1971, dada a conjuntura política do país, vê-se obrigado a exilar-se em Paris onde leciona nas Universidades de Vincennes, de Sorbonne e Faculdade de Letras da Universidade da Alta Bretanha.

No ano de 1973 é um dos fundadores do Partido-Socialista, onde cumpre funções como secretário-geral e regressa a Lisboa em 1974 (no chamado “comboio da liberdade”), logo após a queda do regime. Foi chamado para o lugar de Ministro dos Negócios Estrangeiros (que ocupou nos I, II e III Governos Provisórios) e no IV assume o cargo de Ministro sem Pasta. Demite-se em protesto contra o “caso República” e a crescente tentativa de implementar um novo regime totalitário, abrindo uma crise governamental que levou à queda do então Governo e, mais tarde, à demissão de Vasco Gonçalves.

Foi eleito primeiro-ministro em 1976 e negociou com sucesso, de 1977 a 1985, a entrada de Portugal na Comunidade Europeia. Foi Presidente da República entre 1986 e 1996, ocupando o cargo durante dois mandatos sucessivos e alterando o panorama das campanhas presidenciais ao percorrer várias regiões do país para se aproximar da população e responder às suas preocupações. Posteriormente desempenhou funções de eurodeputado no Parlamento Europeu.

Político exímio, com mais de 70 anos de vida política ativa, sempre próximo do povo e dos seus eleitores, autor e professor respeitado e uma das chaves essenciais para a queda do antigo regime. A ESCS MAGAZINE despede-se de Mário Soares e recorda aqui a sua vida e obra em jeito de homenagem.

[cycloneslider id=”mario-soares”]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *