EMCN – Apenas uma escola de música?

O Conservatório Nacional, com uma história de vários e longos anos, forma todos os anos dezenas de alunos.
Apesar da falta de verba, o conservatório oferece uma formação excelente aos seus alunos, mostrando não ser apenas um centro de formação artística.

Concentrando-me então na Escola de Música do Conservatório Nacional, os seus corredores estão repletos de alunos de várias faixas etárias, sendo que os mais velhos são os do curso de Canto (que apenas podem prestar provas a partir dos 16 até aos 23).

O que muitos não sabem e provavelmente gostariam de saber é que o conservatório é “extremamente público”, ou seja, os seus alunos apenas pagam uma pequena quantia (que ronda os 20/30€) no princípio do ano e as fotocópias de que vão precisando ao longo do tempo.

No entanto, nem todos entram. Por ser uma escola já com alguma reputação, para se entrar é preciso fazer audição, que consiste numa pequena demonstração do instrumento do curso que se pretende frequentar.
Mas porquê o conservatório? Se o que se pretende é um futuro na música, porque não procurar uma Escola Superior, por exemplo?

A resposta é bastante simples. Através de vários testemunhos, consegui apurar que o conservatório, para além de ter a vantagem de não ser caro no ponto de vista de propinas, é uma escola que ensina do princípio. Ou seja, não é por um aluno não saber formação musical que não pode frequentar o curso de Canto, por exemplo. Os alunos são tratados todos de forma igual, sendo-lhes fornecidas várias oportunidades para aprenderem tudo o que pretendem e, por vezes, mais até. Tal coisa não aconteceria numa Escola Superior, onde um aluno que não soubesse Formação Musical não seria aceite.

[cycloneslider id=”escola-de-musica-conservatorio”]

Fotos de Ana Oliveira

“No conservatório temos uma formação completa. Conseguimos progredir no que já tínhamos bases e aprender coisas que nem sonhávamos que nos poderiam ajudar”, descrevem os alunos.

Muitos destes alunos pensam fazer da música o seu futuro e não hesitam em “largar” outros planos para se dedicarem completamente a este mundo fascinante que é o da música. Afinal, “aprender nunca é demais, especialmente quando temos formadores excelentes como o são os professores da EMCN. Não é todos os dias que encontramos professores que nos dão total apoio naquilo que queremos seguir e que nos fornecem todo o tipo de ajuda necessária. Se eu tiver mais dificuldade numa certa matéria, poderei sempre contar com a ajuda do professor que, se for preciso, até me fornece aulas extras”.

Porém, contam também com um ensino muito trabalhoso, que despende de várias horas de estudo e de treino: “todos os dias temos partituras para estudar, todos os dias temos um novo exercício para trazer pronto para a aula seguinte, todos os dias temos de aprender novas técnicas. É trabalhoso, mas gratificante.”

Quando questionados sobre o seu futuro, raros são os alunos que não pretendem música e raros são também aqueles que não gostam da escola. “Aqui não aprendemos só música. Podemos aprender alemão, italiano, instrumento, formação musical, canto, história, inglês, matemática, entre outras. Mas mais importante que tudo, aprendemos a cantar e a tocar em conjunto, a trabalhar com outros, a respeitar e a ter a humildade suficiente para reconhecer quando e onde erramos, e, principalmente, a reconhecer que podemos sempre fazer melhor”.

E com isto espero ter elucidado que não, a Escola de Música do Conservatório Nacional não é só uma escola de música. É também um sítio com excelente ambiente que, apesar de não ter as condições perfeitas, se esforça por fornecer a melhor e mais completa formação possível, deixando dezenas de alunos completamente apaixonados e rendidos a este vasto mundo que é a música.

Artigos recentes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *