Atualidade,  Informação

Houve “Taça”: GD Chaves elimina FC Porto

Depois de um jogo muito disputado, que não foi resolvido nem em tempo regulamentar, nem em prolongamento, o Chaves eliminou o Porto nas grandes penalidades.

O Grupo Desportivo de Chaves eliminou esta sexta-feira, em sua casa, o Futebol Clube do Porto da Taça de Portugal, num jogo que teve de ser resolvido nas grandes penalidades. A equipa transmontana – sexta classificada da Liga Portuguesa -, foi assim a primeira equipa a conseguir tombar um dos grandes na presente edição da “prova rainha”.

Com as duas equipas na máxima força, os cerca de sete mil e novecentos espetadores presenciaram um bom jogo de futebol, com iniciativas de parte a parte e incerteza no resultado até ao final dos cento e vinte minutos de jogo. Este equilíbrio ficou materializado no marcador – zero a zero -, e no facto de a partida ter sido decidida nas grandes penalidades.

Ainda que o jogo tenha sido bem disputado, o FC Porto teve as melhores oportunidades e apresentou um maior domínio do encontro. A equipa “azul e branca” teve mais bola e uma atitude mais ofensiva do que o seu adversário. Ainda assim, mérito para a equipa do Chaves, que defendeu de uma forma organizada e coesa.

Nos melhores momentos do jogo, destaque para dois remates, ambos do FC Porto: primeiro André André, com um potente remate à trave da baliza de António Filipe, aos 63 minutos de jogo; e depois, no último lance do tempo regulamentar, aos 95 minutos, Diogo Jota a rematar para um corte heroico, de cabeça, do capitão flaviense Nelson Lenho – um dos melhores em campo.

No prolongamento, o domínio do jogo pertenceu por completo à equipa portista, enquanto que do outro lado um Chaves guerreiro tentava lutar contra o cansaço e manter o empate. Destaque aqui para queixas de arbitragem por parte do FC Porto, que reclama de duas grandes penalidades não assinaladas pelo árbitro João Capela, uma delas correta.

O jogo foi assim para as grandes penalidades, onde o GD Chaves levou a melhor, principalmente graças a um “super” António Filipe – o guardião português defendeu três penalidades e levou assim a sua equipa para próxima fase da Taça de Portugal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *