7ª Arte

LEFFEST: Uma viagem ao passado

O 2.º dia do Lisbon & Sintra Film Festival esteve cheio de grandes destaques. Desde a abertura da exposição “Isabelle Huppert: Woman of Many Faces”, que contou com a presença da atriz visada e de William Dafoe, à exibição esgotada de “Lucky” (filme em competição) e de “O Quadrado” – filme de Seleção Oficial, vencedor da Palma de Ouro em Cannes e que estreia nos cinemas nacionais esta semana. O dia foi ainda repleto de homenagens a Isabelle Huppert e de retrospetivas a diversos realizadores.

É dentro das retrospetivas que se destaca o nome de Julian Schabel, aclamado pelo seu filme “O Escafandro e a Borboleta”.

Fugindo ao habitual que seria ver esse mesmo filme, decidimos ver o seu filme menos conhecido, “Antes que Anoiteça”, que estreou em 2000 e contou com Javier Bardem no papel principal, tendo o ator sido nomeado para um óscar devido à sua performance.

 

 

Respondendo à pergunta em que estão a pensar: não, este filme não é melhor do que “O Escafandro e a Borboleta”, embora se aproxime um pouco da sua magnificência.

A narrativa do filme foca-se num retrato autobiográfico da vida do poeta e escritor cubano Reynaldo Arenas, que enfrentou uma grande repressão do regime devido à sua sexualidade e à sua escrita.

A repressão do estado é, de resto, um dos grandes temas abordados no filme, tendo ela tido um grande efeito na vida de Reynaldo e sendo, por isso, um motor da história.

Por incidir na vida desde a infância à morte, o filme arrasta-se um pouco a meio, principalmente quando não se percebe para onde é que a história vai avançar.

No entanto, a performance de Javier Bardem é simplesmente fantástica, conseguindo diluir esse arrastamento e a falta de desenvolvimento das personagens secundárias, que, sendo tantas, muitas vezes questionamos se já as vimos ou não anteriormente no filme.

Se forem grandes fãs de Javier Bardem, têm que ver este filme.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *