Moção de censura pode ditar o adeus a Mariano Rajoy

A moção foi apresentada por Pedro Sánchez depois de terem sido conhecidas as sentenças do maior caso de corrupção em Espanha. O Partido Nacionalista Basco (PNV) anunciou, esta quinta-feira, que vai votar a favor da moção de censura contra o chefe do executivo espanhol.

A moção, que foi apresentada na última sexta-feira pelo PSOE, surgiu na sequência do “caso Gurtel”, uma rede ligada ao Partido Popular. A sentença foi conhecida há uma semana e condenou vários antigos membros do PP, de Mariano Rajoy, por corrupção, sendo que o próprio partido foi condenado ao pagamento de uma multa de 245 mil euros.

Esta quinta-feira, os nacionalistas bascos declararam apoio à moção de censura do PSOE. Ainda que se trate de uma força política com apenas cinco deputados, estes votos garantem uma maioria no Congresso dos Deputados que deverá consumar a destituição do Governo de Madrid já esta sexta-feira.

As horas de Mariano Rajoy à frente do Governo de Espanha parecem estar contadas. Poderá ser o fim de um Governo eleito há quase dois anos e a saída de cena do líder do PP, que preside ao executivo espanhol desde 2011.

A justiça entende que o partido beneficiou de um esquema ilegal usado para conceder contratos públicos a empresas em troca de dinheiro.

Na visão dos socialistas que sustentam esta moção, o executivo minoritário, que saiu das eleições de junho de 2016, perdeu a credibilidade e a confiança dos cidadãos para se manter em funções.

Mariano Rajoy não está envolvido diretamente neste caso de corrupção que abalou a política em Espanha, mas os críticos do atual Governo argumentam que o líder do Governo de Madrid terá sido condescendente com o esquema de corrupção ao longo dos vários anos de liderança no Partido Popular.

Artigos recentes

Um adeus a Luis Sepúlveda

Um mês depois da sua morte devido à covid-19, Luis é ainda relembrado – com uma história de vida incrível, certamente memorável para muitos. Escritor,

Ler mais »

Problemas maiores, Carlos?

Claro que eu não discordo totalmente do ponto fulcral. Há problemas maiores. Haver pessoas a morrer é pior do que eu não ter conseguido celebrar

Ler mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *