Desporto

No último suspiro a águia voou

Terminou a época do Voleibol português. As contas são simples, o Benfica dominou, mais uma vez, o panorama do Voleibol nacional. Tornou-se pentacampeão. O treinador Marcel Matz, desde que aterrou em Lisboa, só deixou escapar duas Taças de Portugal, que foram para o outro lado da Segunda Circular, inclusive uma este ano.

Ao longo da temporada, as águias lideraram sempre todas as fases do campeonato e, apesar de, na segunda fase, terem pontuado menos do que o Sporting, asseguraram a liderança. No campeonato de Vólei há uma primazia do número de vitórias em detrimento dos pontos conquistados e o Benfica foi quem mais venceu ao longo da época.

Fonte: Sporting Clube de Portugal

Mas isto foi um sinal de que este ano o Benfica não iria ter uma corrida tranquila até ao título. O Sporting, de João Coelho, mostrou-se revitalizado para a época 23/24 e ainda antes dos playoffs levou a melhor sobre Benfica e Fonte Bastardo para voltar a erguer a Taça de Portugal, três anos depois.

Fonte: Renascença

Depois disto, as equipas de Lisboa aplicaram um knockout ao Sporting de Espinho e ao Fonte Bastardo para se reencontrarem na final do campeonato. E foi até à última. Leões e águias protagonizaram um belo espetáculo que não deixou ninguém indiferente. Jogos muito bem disputados e sempre com grande equilíbrio entre as duas equipas, o que levou a decisão para a negra no Pavilhão da Luz.

No derradeiro jogo, a experiência benfiquista levou a melhor. O resultado foi um 3-1, mas sempre com a incerteza a permanecer até ao 25-23, favorável ao Benfica, naquele que foi o set final deste campeonato. Os encarnados conquistaram assim o seu 12.º título, igualando o Instituto Superior Técnico como a segunda equipa mais titulada do Voleibol nacional. Os 18 campeonatos do Sporting de Espinho parecem estar cada vez mais perto das garras da águia.

Fonte da Capa: SL Benfica

Artigo revisto por Filipe Silva

AUTORIA

Nasceu e começou a fazer desporto, não literalmente, mas quase. Visto que se aventurou numa licenciatura em jornalismo completamente à descoberta daquilo que queria ser, porque não aliar isso a uma das poucas coisas que tem a certeza de que gosta, desporto. É aluno do terceiro ano de jornalismo, mas só agora a acabar o curso é que decidiu dar uma oportunidade à imprensa escrita. Vamos ver se “ela” merece essa oportunidade e não acaba por se tornar uma verdadeira paixão.