Novo caso de falsas licenciaturas leva a nova demissão no Governo

O chefe de gabinete do secretário de Estado da Juventude e do Desporto, Nuno Félix, protagonizou ontem a segunda demissão no Governo no espaço de uma semana, novamente motivada por problemas nas licenciaturas: não existiam.

Nuno Félix, chefe de gabinete do secretário de Estado da Juventude e do Desporto, demitiu-se ontem, dia 28 de outubro, após uma notícia do jornal online O Observador revelar que as suas duas licenciaturas, mencionadas em Diário da República, não existiam.

No despacho da nomeação publicado no referido diário, Nuno Félix era apresentado como licenciado em dois cursos distintos: em Ciências da Comunicação, na Universidade Nova de Lisboa e em Direito, na Universidade Autónoma de Lisboa.

Em declarações ao jornal Público, o agora ex-chefe de gabinete esclarece o porquê de se ter demitido e o que realmente aconteceu com as falsas licenciaturas: o primeiro ponto prende-se, segundo o próprio, com a “reputação ética necessária que permita impor aos outros os critérios de exigência e de seriedade”, que o mesmo diz neste momento não ter. Quanto à confusão criada em torno das menções às licenciaturas inexistentes, Nuno Félix explica que tudo não passou de um mal entendido e que desde o primeiro momento tentou corrigir a forma como eram apresentadas as suas habilitações em Diário da República – apenas não o conseguiu porque o prazo de sessenta dias para alterações já tinha expirado.

O Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, já se pronunciou, dizendo que não tinha conhecimento de que as habilitações de Nuno Félix estavam distorcidas da realidade, versão que choca com as declarações de João Wengorovius Meneses, antigo secretário de Estado da mesma secção – segundo este, o Ministro da Educação não só tinha conhecimento da situação, como impediu que Nuno Félix fosse demitido em abril pelo mesmo motivo.

Esta é assim a segunda demissão de um membro do Governo só nesta semana, depois de Rui Lizardo Roque, adjunto de António Costa para os Assuntos Regionais, ter apresentado esta terça-feira a sua demissão, também com falsas licenciaturas como motivo de fundo para a mesma.

Artigos recentes

Isto Não É Ficção

Se é isto um homem é o relato de um sobrevivente, Primo Levi, a uma das páginas mais negras da história recente: o Holocausto. O

Ler mais »

Um adeus a Luis Sepúlveda

Um mês depois da sua morte devido à covid-19, Luis é ainda relembrado – com uma história de vida incrível, certamente memorável para muitos. Escritor,

Ler mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *