O Bom no Mau: “The Emoji Movie”

The Emoji Movie estreou neste verão em todo o mundo e foi considerado um dos piores filmes de animação de sempre, tendo só 2.8 (em 10) no IMDB, 12 (em 100) no Metacritic e 9% (com uma pontuação média de 2.7) no Rotten Tomatoes, tendo por isso sido mal recebido quer pela crítica como pelo público. No entanto, tal não impediu o filme de arrecadar nos cinemas mais de 216 milhões de dólares em todo o mundo.

O filme conta a história de Gene, um emoji com mais do que uma expressão, que, com a ajuda de Hi-5 e Jailbreak (para quem não sabe, o jailbreak é um método que permite em aparelhos com o sistema IOS instalar aplicações fora da App Store e modificar o dispositivo sem restrições. Não deixa de ser tonta a sua utilização porque é óbvio que o telemóvel utilizado não é um Iphone, muito provavelmente porque é um filme da SONY e, além disso, o telemóvel não conseguiria ter sido mandado para a reparação porque teria perdido a garantia com o processo), tenta tornar-se num emoji normal, que neste caso significaria ser um “meh” 😒.

Figura 1 – A minha cara após ver este filme

Poderia passar um artigo inteiro a mostrar as mil e uma razões porque o filme é horrível, falando desde as situações completamente ilógicas (porque é que precisam de saltar de aplicação em aplicação se bastava andar pelo caminho entre elas) até ao exaustivo product placement (que miúdo é que utiliza o “Crackle”?! – a plataforma de streaming da Sony que ninguém utiliza e nunca ouviu falar). Mas tentarei fazer o contrário, dizendo algumas das coisas boas. Vou tentar fazer o meu melhor. No entanto, poderá sair algo um pouco irónico.

 

Então…

 

  • Piadas tão amarelas como os ovos

O filme está cheio de piadas como: “- What type of business? / – Monkey business”;  “- És demasiado mole , Cocó / – Não demasiado mole, eu espero”, e ainda “I can be the meh I was meh to be” ( as piadas estão em inglês porque não resultam em português), que nos fazem rir às gargalhadas de tão ridículas que são.

 

  • O elenco de vozes que conseguiu reunir

Neste filme temos estrelas como Sir Patrick Stewart (sim, ele mesmo), Maya Rudolph, Anna Faris, James Corden, Jennifer Coolidge , Jake T.Austin e Christina Aguilera a dar vozes às personagens.

No caso de alguém querer saber, o Patrick Stewart dá a voz ao Cocó.

 

  • O cliché do miúdo tímido que tenta convidar uma rapariga da turma para o baile não tem o foco central da narrativa

Embora o filme tenha este cliché, devido ao pouco foco nas personagens humanas que nem sequer são desenvolvidas a modo, esta componente só ocupa cerca de 10 minutos do filme.

 

  • Comentário ao uso excessivo dos telemóveis

Apesar de o filme não mostrar em destaque a crítica social a esta situação, em certas cenas está presente, sendo um possível caminho que o filme poderia ter tomado para não ser assim tão inútil a sua existência.

 

  • Entretém minimamente

Estás à procura de um filme para desanuviar a cabeça, mas não queres pensar nem queres um filme cheio de ação, e se possível queres um que não interessa se perdes alguma coisa por teres ido à casa de banho, à cozinha ou por teres adormecido, então este é o filme perfeito.

 

  • Pelo menos só tem 1h26m

Isto quer dizer que não desperdiças assim tanto da tua vida com este filme, o que é excelente.
A tarefa de analisar o “The Emoji Movie” foi difícil. É quase impossível falar bem sobre o filme. Agora uma única questão permanece: será o filme tão mau que se tornará num filme de culto? Só o tempo dirá.

Artigos recentes

The (not so) Good Place

Estás à procura de uma série curta e divertida para fazer binge-watching durante a quarentena? The Good Place pode ser a melhor opção. Esta série

Ler mais »

SNS e o suicídio

Não saber que o Sistema Nacional de Saúde é lento é como não saber que data é 1143: é sinal de que não se é

Ler mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *