• Literatura

    “As coisas acontecem muito por acaso”

     Cinerama Peruana foi a sua obra de entrada na literatura portuguesa. Apesar de ter sido lançado há quase um ano, continua a receber críticas bastante positivas, dando um estatuto de talento promissor da ficção nacional a Rodrigo Magalhães. Autor discreto e contido, mas com extraordinária mestria narrativa, Rodrigo aparece sem qualquer background em termos de publicação ou de atribuição de prémios, mas apresenta uma maturidade capaz de igualar, se não mesmo superar, alguns escritores já estabelecidos.   Estreou-se um pouco mais tarde do que é normal. Foi por opção ou por falta de oportunidade? Foi mais por opção do que por falta de oportunidade. Nunca tentei verdadeiramente publicar, nem nunca…