• Música

    Lorde: quando a pop se torna introspetiva

    “Fluorescente”: quando Lorde descreve o seu primeiro relacionamento desta maneira na música “Supercut”, percebe-se facilmente o recurso à sinestesia, à sua capacidade de aliar sons, ritmos e produções a padrões de cores. Em Melodrama as cores são fortes, elétricas e brilham de forma incandescente. Mas o néon não resistirá para sempre, e toda a sua frenética requer uma química estudada. No entanto, quando este chega ao fim, é preciso uma parte mais sombria e melancólica para contrastar. Esta fórmula é a premissa deste novo álbum: não só retrata o crescimento da cantora, mas também a sua resistência, de alguma maneira amarga, a novos sentimentos – sentimentos de solidão, desilusão e…