• Literatura

    Kazuo Ishiguro: o mestre da memória, do tempo e da auto-ilusão

    Entre o Japão e Inglaterra, Kazuo Ishiguro cresceu com influências de duas culturas totalmente distintas. Aos 62 anos, foi o 114.º autor galardoado com o Nobel da Literatura. Para a Academia Sueca, este prémio deveu-se aos seus “romances de grande força emocional” e ao facto de Ishiguro ter descoberto “o abismo da nossa ilusória sensação de conforto com o mundo”. Verdade seja dita, os prémios não constituem uma novidade para o escritor nipo-britânico: já havia sido designado Oficial da Ordem do Império Britânico em 1995 quando, em 1998, recebeu a condecoração honorífica de Chevalier de L’Ordre des Arts et des Lettres. Para além destes prémios, a sua obra-prima, Despojos do…