Desporto

Um britânico com classe

A segunda corrida do campeonato do mundo de Fórmula 1 teve emoção para quase todos os gostos. Para adeptos da RedBull a emoção foi má pois Daniel Ricciardo e Max Verstappen abandonaram a corrida nas primeiras voltas. Na qualificação, Max Verstappen bateu e acabou por ter que largar para o GP do Bahrain em décimo quinto. Já Daniel Ricciardo arrancou da quarta posição pois Lewis Hamilton teve uma penalização de cinco lugares, partindo de nono. A primeira grelha da partida foi totalmente vermelha, sendo que a pole position ficou para Sebastian Vettel com um tempo de 1:27:958m. Já no segundo lugar ficou o campeão do mundo de 2007, Kimi Raikkonen.

No início da corrida destaca-se o Mercedes pilotado por Valteri Bottas. O finlandês teve um arranque perfeito, passando o seu compatriota e conseguindo o segundo lugar logo na primeira curva do circuito. Vettel arrancou muito bem e começou logo no início a distanciar-se de Bottas, sendo que no terceiro lugar, Raikkonem não parecia conseguir apanhar o ritmo dos da frente. Mais atrás as lutas eram cada vez mais intensas. Lewis Hamilton e Verstappen tiveram um pequeno toque entre si, o que fez Verstappen furar e ter que ir às boxes trocar o pneu traseiro esquerdo, mas acabou por abandonar umas voltas depois com problemas de diferencial. Lewis Hamilton, apesar de partir de nono, fez uma grande recuperação e na volta oito já se encontrava na quarta posição. Sergio Perez e Brandon Hartley tocaram-se, o que fez o mexicano fazer meio pião.

Mais uma vez, neste fim-de-semana, a Ferrari teve problemas com as paragens na boxe (já nos treinos tinha sido multada por não ter apertado uma das rodas de um dos seus carros). A estratégia da Ferrari, que se baseava em duas paragens, viu Vettel parar primeiro, para montar pneus macios e, de seguida, Kimi Raikkonen, com os mesmos pneus, só que nesta segunda paragem Kimi saiu cedo demais, “atropelando” um dos seus mecânicos que acabou com uma perna fraturada, assim acabando com a corrida do finlandês. Já na Mercedes a estratégia foi de uma paragem, sendo que ambos os seus pilotos “calçaram” a borracha média, que permitiu chegar ao final sem ter que conservar tanto os pneus.

Sebastian Vettel e a Ferrari mostraram-se muito astutos na estratégia escolhida para a corrida do Bahrain / Fonte: FIA (Facebook)

Mais atrás no pelotão, Nico Hulkenberg lutou muito com o francês da Force India, Esteban Ocon, mas enquanto se dava esta luta, Hamiton, que vinha atrasado, fazia ultrapassagens a um ritmo alucinante (na volta cinco, Hamilton ultrapassa três carros de uma vez só). As posições foram assentando com o decorrer da corrida e, como é costume na Fórmula 1, as ultrapassagens foram ficando mais escassas. Com o final a chegar, a Ferrari mudou a sua estratégia e fez Vettel aguentar os seus pneus macios até ao fim, o que, perante um Bottas com pneus mais frescos, nos deu um belo espetáculo nas últimas voltas. Vettel terminou apenas a 0.6s em frente de Bottas. Já Lewis Hamilton chegou em terceiro, ilustrando a sua enorme recuperação. A surpresa da corrida foi o rookie Pierre Gasly, que partiu de sexto. Este teve um arranque bom, tentando passar Ricciardo na primeira curva, mas tendo que se contentar com a quinta posição, sendo que, com o abandono do Ferrari de Kimi, o francês acabou num excelente quarto lugar. Uma excelente prestação por parte da equipa Toro Rosso, na sua segunda corrida com os motores japoneses da Honda. A Haas conseguiu que um dos seus pilotos pontuasse, Kevin Magnussem fechou a corrida em quinto classificado, uma boa prestação da equipa americana após um desastroso Grande Prémio na Auastrália. Já a McLaren levou Fernando Alonso ao sétimo posto e Stoffel Vandoorne chegou em oitavo. Destaque também para a Sauber/Ferrari que conquistou dois pontos por intermédio de Marcus Ericsson. O sueco parece estar a dar tudo por tudo para comprovar a aposta feita nele, já que no ano transato nem sequer pontuou.

No campeonato as contas ficam as seguintes: Vettel lidera com 50 pontos, frutos das duas vitórias, Hamilton segue em segundo com 33 pontos e o seu colega de equipa, Bottas, em terceiro com 22 pontos. Fernando Alonso é o quarto, com 16 (Esta é a posição mais alta de Alonso desde 2014) e Kimi Raikkonen em quinto, com 15 pontos.

Fonte – Twitter da Fórmula 1

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *