“You’ll float too” – Um olhar sobre “It”

Ao longo destes anos temos visto várias adaptações de Stephen King ao cinema e, verdade seja dita, nem todas conseguiram o que era esperado – cativar o público. Mas “IT” chegou e arrasou. O filme estreado em setembro já conta com mais de 500 milhões de dólares nas bilheteiras mundiais e tornou-se no filme de terror mais visto no seu fim-de-semana de estreia, arrecadando 123 milhões de dólares e alcançando o sucesso a nível global em tão pouco tempo.

“IT” conta a história de sete crianças que pertencem ao “The Losers’ Club” (“O Grupo dos Falhados”, em português) e que, em 1989, viram o seu verão ser arruinado pelos seus medos – personificados no palhaço, nada amigável, Pennywise – e pelo desaparecimento de jovens na pequena cidade de Derry, Maine.

Estes pequenos atores estiveram à altura do desafio, tal como Bill Skarsgard (Pennywise) esteve à altura de conseguir transmitir ao público a lucidez e o medo deste palhaço tão misterioso. O filme mostra-se bastante equilibrado na maneira em como é contada a história onde os protagonistas são pequenos adolescentes (sou capaz de dizer que estes atores são a chave de ouro deste filme), que conseguem enfrentar os seus medos e aprender uma lição com eles – nunca mais gostar de palhaços.

Depois de um fantástico filme de terror que é “IT”, ficamos à espera assim do segundo capítulo. Pois…estavam a pensar que tinha acabado? Não. “The Losers” vão voltar, tal como o palhaço Pennywise, e voltarão mais velhos e mais fortes (e assustadores, particularmente este último referido).

Um pacto de sangue tem de ser cumprido e “The Losers’ Club” voltará no capítulo 2, agendado para 6 de setembro de 2019.

Artigos recentes

Um adeus a Luis Sepúlveda

Um mês depois da sua morte devido à covid-19, Luis é ainda relembrado – com uma história de vida incrível, certamente memorável para muitos. Escritor,

Ler mais »

Problemas maiores, Carlos?

Claro que eu não discordo totalmente do ponto fulcral. Há problemas maiores. Haver pessoas a morrer é pior do que eu não ter conseguido celebrar

Ler mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *