Uma espécie de código de conduta personalizado

Olá! Como estão? O meu nome é João e tenho 19 anos. Eis alguns dos meus hobbies: gosto de comer croissants de chocolate, de me colocar em situações embaraçosas, de contemplar o vazio da minha e da vossa existência. Também gosto de escrever sobre muita coisa e de dar a minha opinião em relação a muita coisa – quando tenho vontade, o que não acontece muitas vezes – e foi, talvez, por isso que me convidaram para fazer parte da secção de opinião da ESCS MAGAZINE. Numa espécie de artigo 0, comprometo-me a elaborar algumas regras pessoais pelas quais me vou reger durante este período de expressão, para além do próprio código editorial da MAGAZINE.

Quero que o meu espaço de opinião aqui funcione como uma plataforma de aprendizagem – em termos de capacidade de escrita, expressão criativa e de conhecimento sobre temáticas que vou abordando – e de socialização, tanto para mim, como para quem lê os meus textos. Escusado será dizer que tudo aquilo que escrever é produto das minhas reflexões, de profundidade variada (conforme acordar e me sentir e o número de coisas em que vou pensando). Essa reflexão parte, primeiro, da minha experiência pessoal ao longo destes anos, que inclui a minha personalidade e que, por consequência, resulta na defesa e exaltação de diversos valores e coisas, sobretudo os da verdade, justiça, conhecimento, perfeição, diversão, e compromisso, por exemplo (à medida que avançarmos no tempo vou tentar explorar estes tópicos mais detalhadamente e dar a perceber aquilo que quero dizer com cada um deles).  Segundo, essas reflexões partem das coisas que vou lendo e que influenciam as minhas escolhas e opiniões, sobretudo para os meus artigos. Parto do princípio de que a minha reação a x será diferente da reação de outra pessoa.

Como vou tentar concretizar isto a que me comprometo? Primeiro, quero fomentar uma espécie de compromisso intelectual entre mim e aqueles que leem os meus textos. Quero impulsionar a reflexão sobre as coisas, o questionamento, a curiosidade, a expansão do conhecimento sobre as temáticas que apresento e sobre as quais dou a minha opinião, e a partilha de diferentes opiniões com os meus leitores (certamente não serão muitos, mas isso não terá grande importância), independentemente de concordarmos uns com os outros ou não. A partir dessa deixa, quero fomentar o pluralismo, através da apresentação de diferentes pontos de vista a partir dos quais elaboro as minhas opiniões. Também pretendo entreter: como alguém que quer explorar o seu potencial criativo, especialmente ao nível da escrita (gostava de fazer da escrita um trabalho remunerado), não quero escrever artigos só mesmo para dizer que acho isto ou aquilo. Ainda não tenho a certeza de como vou concretizar isso, mas hei de ver. A minha escrita servirá também como forma de me dar a conhecer. Sou muito mais hábil a expressar-me através da escrita do que sou a falar com alguém numa conversa normal, visto ser alguém especialmente inapto para esse tipo de ação. Isso deve-se a muitas coisas: talvez as enuncie um dia destes. Também é através do diálogo que pretendo conhecer aqueles que me querem conhecer a mim. Finalmente, quero, obviamente, ajudar a elevar a qualidade da ESCS MAGAZINE, sendo esse um dos principais objetivos da nova direção, como não seria de espantar, visto que se deve sempre tentar melhorar aquilo que tem vindo a ser feito. Não venho escrever para aqui para servir de repelente a potenciais leitores. Quando a direção achar que não tenho estofo para isto, retirar-me-ei, provavelmente.

Não irei proporcionar grandes obras de arte de início, visto que estas coisas que fui enunciando não estão ainda muito bem absorvidas, e, por isso, pô-las em prática vai provavelmente demorar. Também sou inexperiente e os meus ‘quadros de referência’ ainda não foram muito bem explorados (não me informo muito sobre nada e não tenho querido saber). Espero que a qualidade dos meus artigos aumente ao longo da minha ‘carreira’. Também se calhar vou arranjar mais regras pelas quais me reger, e vou, se calhar, descartar outras: não me lembro de tudo logo à primeira, algo que me deixa um pouco desconfortável. E, com certeza, vou dizer muita merda. Mas, volto a frisar: estou aqui para aprender e para me divertir: irei tentar espremer ao máximo o meu potencial, mas vou tentar levar isto na ‘desportiva’. Afinal de contas, vamos todos morrer, por isso, não vale a pena cansarmo-nos muito, não é verdade? Eis a vossa dose diária de niilismo estoico.

Com isto dito, resta me desejar-vos uns bons dias e não se esqueçam de comer os vossos brócolos, o melhor vegetal! Mas não comam muito, senão dá-vos uma overdose de vitamina C. Sou extremamente hipocondríaco, já agora. Quanto a mim, vou jogar à bola e meter a mão junto ao coração, quando começar a ficar cansado, com medo de que morra subitamente.

Até à próxima!

Posted in Opinião and tagged , , , , .

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *