Made In ESCS

Uma viagem cultural a Madrid

A AE ESCS, Associação de Estudantes da ESCS, organizou mais uma viagem: este ano a iniciativa cultural contou com um fim de semana na capital espanhola.

Madrid foi o destino selecionado. A ESCS MAGAZINE apresenta-te agora o diário de bordo do percurso realizado por alguns dos estudantes da ESCS.


Sexta-feira
(6 de abril)

10h Plaza Mayor

A Plaza Mayor é uma praça retangular, com nove possibilidade de entradas. Esta praça situa-se no centro da cidade – entre as Puerta del Sol e a Plaza de la Villa – e caracteriza-se por estar rodeada de um único edifício, que possui três pisos.

As origens da Plaza Mayor remontam ao século XV. No entanto, foi em 1580 que o rei Filipe II remodelou a praça, após ter transferido a corte para Madrid em 1561.

[cycloneslider id=”plaza-mayor”]

 

13:30h – Almoço na Plaza de Oriente

A Plaza do Oriente está situada no centro histórico da capital, junto a importantes edifícios, como o Palácio Real, o Teatro Real e o Real Monasterio de la Encarnación.

Rodeada de vários jardins, a sua estátua central caracteriza-se por ter sido a primeira estátua equestre do mundo que está unicamente apoiada pelas patas traseiras do cavalo.

A arquitetura retangular da praça foi desenhada em 1844 por Narciso Pascual y Colomer.

 

15h

Palácio Real de Madrid

O Palácio Real de Madrid, ou também conhecido por Palácio de Oriente, é o maior palácio real na Europa. Com 4318 quartos, foi a residência permanente dos reis de Espanha na Segunda República Espanhola (1931-1939).

Atualmente a família real vive no Palácio de Zarzuela. No entanto, utiliza este Palácio para cerimónias mais formais como galas, almoços ou receções oficiais.

O palácio começou a ser construído em 1738, mediante o projeto arquitetónico de Giovanni Battista Sacchetti, substituindo outro palácio que fora destruído num incêndio em 1734 – o Real Alcázar de Madrid.

 

Catedral de Almudena

A Catedral de Almudena é atualmente a sede episcopal da diocese de Madrid.

Foi consagrada pelo papa João Paulo II, em 1993, e caracteriza-se por ter sido construída em conjunto com o Palácio Real – razão pela qual se situam perto um do outro.

Esta catedral possui essencialmente dois estilos: o neoclássico no exterior e o neogótico no interior.

[cycloneslider id=”almudena”]

 

17h Puerta del Sol

A Puerta del Sol é um dos locais mais concorridos da capital espanhola. De dia enche-se com animadores de rua e músicos; já a noite caracteriza-se por apresentar espetáculos de rua fascinantes, como atuações de hip hop, e muitos relações públicas de várias discotecas e espaços noturnos.

É neste local que os madrilenos costumam fazer a contagem decrescente e comer as passas do ano novo. Além disso, desde 1950 que nesta praça se encontra o quilómetro zero das estradas espanholas.

[cycloneslider id=”puerta-del-sol”]

 

18h – Puerta del Sol (Fonte de Neptuno)

Para visitar o Museu do Prado, que não permite recolher fotografias, passámos pela fonte de Neptuno. A fonte de Neptuno é o local onde os adeptos do Atlético de Madrid festejam as suas vitórias; em contrapartida, a fonte de Cibeles é ocupada pelos adeptos do Real Madrid.

A fonte de Neptuno foi desenhada por Ventura Rodríguez em 1782 e construída por Juan Pascual de Mena, entre 1780 e 1784. A sua principal matéria-prima é o mármore branco.

 

22hBairro Chueca

O Bairro Chueca situa-se ao pé da Gran Vía e caracteriza-se por ser um conjunto de bairros, onde se podem encontrar vários bares da comunidade LGBT.

É nesta zona que existem os melhores bares da Europa – destacando-se o Museo Chicote, que já foi várias vezes considerado o melhor da Europa.

Fonte: Google

 

Sábado (7 de abril)

11h Parque del Retiro

O Parque del Retiro é um dos maiores parques de Madrid, que alberga outras atrações turísticas, como o Palácio de Velázquez e o Palácio de Cristal.

Este parque público é assim conhecido como um jardim histórico, sendo rico em fontes.  

Foi construído na primeira metade do século XVII, como consequência do projeto paisagístico do Palácio del Buen Retiro. Primeiramente usado como espaço privado por Felipe IV, o parque torna-se público em 1767, com a permissão de Carlos III.

O Palácio del Buen Retiro foi destruído no século XIX, após a Guerra de la Independencia. Assim, o aspeto atual do parque é o resultado das intervenções realizadas nos séculos XIX e XX.

[cycloneslider id=”parque-del-retiro”]

 

Palácio de Velázquez

O Palácio de Velázquez situa-se no Parque del Retiro e foi construído pelo arquiteto Ricardo Velázquez Bosco entre 1881 e 1883.

Foi inaugurado por motivo de celebração da Exposição Nacional de Mineração, realizada em 1883.  O edifício foi inspirado pelo Palácio de Cristal de Londres: apresenta abóbodas de ferro e vidro, permitindo assim iluminar naturalmente as salas.

Atualmente pertence ao Ministério da Cultura e é usado como sala para exposições temporárias do Museu Nacional Centro de Arte Rainha Sofia.

[cycloneslider id=”velazquez”]

 

Palácio de Cristal

O Palácio de Cristal é um dos melhores exemplos em Madrid do período característico da chamada arquitetura de ferro. Também construído por Ricardo Velázquez Bosco, apresenta uma estrutura de metal e cristal, e foi inspirado no Palácio de Cristal de Londres.

Este espaço foi erguido sob o pretexto da Exposição das Ilhas Filipinas, realizada em 1887.

O seu objetivo inicial seria funcionar como uma estufa gigante de plantas tropicais. No entanto, atualmente este serve de sala de exposições de arte do Museu Nacional Centro de Arte Rainha Sofia.

 

16h Círculo de Bellas Artes

O Círculo de Bellas Artes de Madrid (CA) é uma entidade cultural privada sem fins lucrativos, fundada em abril de 1880 por um pequeno grupo de artistas – sendo que o seu primeiro presidente foi o pintor Juan Martínez de Espinosa.

É um dos centros culturais privados mais importantes da Europa, cujo papel é a criação e difusão cultural – dá maior destaque às correntes artísticas mais inovadoras.

Este espaço não apresenta unicamente exposições de artes plásticas, mas também apresenta conteúdos literários, científicos, filosóficos, cinemáticos e artes cénicas.

As exposições que visualizámos foram “Picasso y el museo”, que caracteriza por ser uma coleção de quadro onde Picasso se vai inspirar nas obras de outros artistas, e “El Gran Río”, que é uma obra à volta de conflitos – rebeldia, rebelião, revolução e resistência são as palavras-chave para esta exposição.

 

Domingo (8 de abril)

13h Mercado del Rastro

É um mercado ao ar livre, que se realiza todos os domingos e dias festivos no centro histórico de Madrid. Situa-se especificamente no bairro popular La Latina.

O Mercado del Rastro já existe há 400 anos e o seu nome pode ser explicado pelo facto de o mercado ocupar o antigo lugar onde se encontravam os curtumes – indústria que se dedica ao tratamento de peles finas e de couros -, muito próximos dos matadouros. Durante a transferência do gado para este tipo de indústria, um rasto de sangue ficou pelo caminho e assim o mercado ficou conhecido por “El Rastro”.

Aqui pode encontrar-se tanto objetos banais, do quotidiano, como artigos antigos, em segunda mão.

[cycloneslider id=”mercado”]

 

14h La Tabacalera

Este espaço era uma antiga fábrica de tabaco, tal como o nome nos sugere. Em 2009, La Tabacalera foi transformado num espaço público, com o objetivo de discutir vários temas. Assim, este sítio caracteriza-se por acolher debates, exposições, galerias e palestras.

A ideia-base deste sítio é a democracia: qualquer pessoa pode usar e beneficiá-lo. Algumas das atividades que podem ser realizadas é a pintura – principalmente, a urbana -, a agricultura, espetáculos de dança e canto e a representação.

Desta maneira, este espaço cultura e social é composto por um jardim comunitário, um pátio, um bar, uma livraria e uma cozinha.

[cycloneslider id=”la-tabacalera”]

 

15:30h Círculo de Bellas Artes (terraço)

Dentro do edifício do Círculo de Bellas Artes, onde se encontram as exposições, existe um terraço que nos concede uma vista sob toda a cidade.

O terraço é acompanhado de um bar e de uma esplanada. O bilhete para entrar neste espaço é de 4 euros – quantia igual ao do bilhete das exposições. No entanto, o bilhete conjunto, que inclua as exposições e o terraço, é de 5 euros.

[cycloneslider id=”terraco”]

 

17h Gran Vía

A Gran Vía é das maiores avenidas de Madrid e a mais conhecida. Foi construída entre 1910 e 1929, com o objetivo de ligar o bairro de Salamanca com o de Arguelles- começa na rua de Alcalá e termina na Praça de Espanha.

Atualmente na Gran Vía encontra-se essencialmente três tipos de estabelecimentos: restaurantes, lojas de moda e cinemas- razão pela qual era chamada antigamente de “Broadway” madrilena.

 

18h Mercado de San Miguel

O Mercado de San Miguel é o único mercado de ferro que sobreviveu até à atualidade. Foi inaugurado em 1916 como mercado de abastecimento. Em 2009, tornou-se o primeiro mercado gastronómico da capital espanhola.

Conta com mais de 10 milhões de visitantes por ano e caracteriza-se por apresentar várias correntes gastronómicas espanholas. Alguns dos produtos mais conhecidos são o presunto ibérico, o marisco, os arrozes mediterrâneos, vinhos e os queijos de Castela, Astúrias ou do País Basco.

[cycloneslider id=”san-miguel”]

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *