Moda e Lifestyle

5 Formas de ajudares o planeta em 2021

Espécies extintas, alterações climáticas, efeito de estufa, eventos naturais fora de época e em lugares incomuns. Não há margem para dúvidas: precisamos de fazer alguma coisa para mudar o rumo que o planeta Terra está a levar. E já devíamos ter começado há muito tempo, mas só há alguns anos é que se tomou a consciência coletiva de que precisamos mesmo de fazer alguma coisa pelo planeta.

Já todos sabemos de coisas que podemos fazer e que contribuem para a mitigação dos problemas ambientais: usar garrafas e palhinhas recicláveis, fazer a reciclagem, fechar as torneiras, apagar as luzes quando não precisamos delas, preferir bicicletas e transportes públicos aos automóveis privados… Mas o que é que podemos fazer mais?

Fonte: Pinterest

Aproveitar a água do banho

Não a água com que tomamos banho, mas a água que desperdiçamos enquanto esperamos que ela aqueça. A quantidade de água desperdiçada é diferente de casa para casa, porque depende de vários fatores como a forma de aquecimento (gás, caldeira, painéis solares…), a distância a que a botija de gás/caldeira está da casa de banho, entre outros. Na minha casa, percebi que desde que ligo o chuveiro até a água estar quente correm cerca de 6 litros de água.

Aproveitar a água fria do banho é uma prática que faço na minha casa há muito tempo. A ideia consiste em pôr garrafões (ou outra coisa que achem que faz o mesmo efeito) na banheira/chuveiro e um funil no gargalo do garrafão. Assim, enquanto esperam que a água esteja na temperatura ideal, basta colocarem o chuveiro a correr a água para os garrafões. Depois podem reutilizar esta água para outras coisas, como…

Fonte: Pinterest

Autoclismo, lavagens, etc…

É uma questão de criatividade! Só têm de ter cuidado para não se enganarem e não beberem desta água, porque pode ter resíduos de champô ou de gel de banho.

Uma das ideias é usar esta água para lavar coisas. Podem lavar a louça com esta água, pondo-a no lavatório com detergente, mas aconselho a que depois passem a loiça por água limpa da torneira, porque, como já referi, pode ter resíduos que não são aconselhados a consumo. Também podem usar esta água para lavar roupa que não pode ir à máquina ou aquelas botas que ficaram sujas porque metemos o pé numa poça de água com terra. 

Outra ideia é usar esta água para a sanita e podem fazê-lo de duas formas. Se o vosso tampo do autoclismo for fácil de levantar, podem desligar a torneira do mesmo e despejar a água para lá; se o vosso autoclismo for de louça, já não é tão fácil, por isso, a sugestão é que despejem a água do garrafão para um alguidar e depois para a sanita. Não aconselho a que despejem a água diretamente do garrafão para a sanita, porque:

1 – vai salpicar imenso para fora

2 – vão gastar mais água, visto que a água vai ser libertada com menos potência do que se a despejarem de uma só vez de um alguidar (ou de outra coisa que faça o mesmo efeito)

Se usarem o truque do alguidar, vão conseguir usar apenas 3 ou 4 litros de água em vez dos 5 ou 6 litros do garrafão ou dos 15 litros de uma descarga do autoclismo. O truque do alguidar não é prático para se fazer todos os dias, por isso, cá em casa estabelecemos que fazemos isto uma vez por semana: no dia antes de limpar a casa. Porquê? Na maioria das vezes (mesmo depois de se lhe apanhar o jeito), salpica-se água e molha-se muito a casa de banho.

Fonte: Pinterest

Refeições vegetarianas ou vegans uma vez por semana

Esta é uma boa opção para quem não quer/pode ser vegetariano ou vegan, mas quer reduzir o seu impacto na produção de carne e de alimentos de origem animal.

Todos nós sabemos que o consumo de carne de vaca é um dos maiores problemas, não só pela água que é necessária para o consumo do próprio animal e para regar os campos onde pastam, mas também porque cada vez que uma vaca abre a boca para comer (ou respirar, ou bocejar… não importa!) liberta metano. Ora, uma partícula de metano equivale a 25 partículas de dióxido de carbono, por isso, já estão a ver o problema! 

Qual é, então, a sugestão? Podem ter um dia por semana em que só comem comida vegetariana ou vegan! O importante é fazerem uma pesquisa antes de começarem, para saberem quais são as propriedades nutricionais de cada substituto, de modo a que não prejudiquem a vossa saúde.

Algumas das alternativas mais conhecidas são a soja, o tofu, o seitan, os leites vegetais, entre outras. É só procurar! Se forem biológicos, ainda melhor!

Fonte: Pinterest

Ter o frigorífico cheio

Cada vez que abrimos o frigorífico, o ar frio sai. Quando fechamos a porta, o frigorífico tem de voltar a refrigerar o ar que está lá dentro – durante este processo, o frigorífico gasta muita energia elétrica.Como não conseguimos ter o frigorífico cheio de comida (até porque em confinamento não devemos estar constantemente no supermercado), podem pôr qualquer outra coisa que faça volume: garrafas, tupperwares… Deem asas à imaginação!

Fonte: Pinterest

Usar sacos de plástico 

Não, não me enganei. Na verdade, habituamo-nos a ver os sacos de plástico como um bicho papão e os sacos de papel e algodão como os nossos heróis. Mas serão assim tão bons como achamos? Vamos ver…

Energia

Estudos comprovam que a produção de sacos de papel requer quatro vezes mais energia do que a necessária para os sacos de plástico. Antes de mais, a produção de sacos de papel implica o corte de florestas, já para não falar de que produz uma maior concentração de produtos químicos tóxicos em comparação com a produção de sacos de plástico. Como o peso destes sacos é maior, o seu transporte exige mais esforços, pelo que a pegada carbónica é maior.

Impacto

A Environment Agency investigou quantas vezes um saco de papel precisa de ser usado para que a sua produção contribua menos para o aquecimento global do que a produção de um saco de plástico. O resultado: o papel precisa de ser usado três vezes, enquanto o plástico precisa de ser utilizado quatro vezes. Os sacos de algodão, por outro lado, necessitam de 52 utilizações para compensar a sua utilização, mas se o algodão for orgânico são necessárias cerca de 135 utilizações, por causa da elevada energia usada para produzir e enriquecer o fio de algodão.

Um estudo realizado pela Agência de Proteção Ambiental da Dinamarca revela ainda que os sacos de papel produzem 142% mais de poluição atmosférica e 15% mais de desperdício de água.

Duração

Todos nós conhecemos a dificuldade de reutilizar um saco de papel: ou rasga-se, ou molha-se, ou fica com gordura e não conseguimos lavar… Qual é que foi o número máximo de reutilizações que conseguiram dar a um saco de papel?

Os sacos de algodão, por outro lado, têm uma vida muito mais longa – podemos usar mais vezes do que um saco de papel e até mais do que um de plástico.

Tempo de decomposição

Este será o ponto forte do papel: em comparação com o plástico que pode demorar entre 400 e 1000 anos a decompor-se, o papel decompõe-se rápido, representando, por isso, um menor perigo para a vida selvagem, por exemplo. No entanto, uma investigação realizada pelo Earther indica que a proibição de uso de sacos de plástico é mais vantajosa e faz mais sentido nas regiões próximas do mar, sendo que as regiões mais interiores continuam a beneficiar ecologicamente mais do uso de sacos de plástico.

Reciclagem

Infelizmente, nem tudo o que pomos na reciclagem é reciclado e uma pequena ação negligente pode estragar todo um lote de recolha de lixo. Um exemplo: papel sujo ou com gordura não pode ser reciclado, por isso, se colocarmos papel com gordura (como uma caixa de pizza) ou papel sujo (como um papel que usamos para limpar qualquer coisa) na reciclagem, esses resíduos vão passar para os restantes papéis e cartões do contentor e estragar grande parte da reciclagem que pode ser feita. Ou seja, o melhor é colocar estes papéis no lixo, o que nos deixa a pensar logo à partida que grande parte do papel nem deve ir para a reciclagem. O plástico, por outro lado, pode – e deve – ser lavado antes de ir para a reciclagem, de modo a torná-la possível.

Onde é que eu quero chegar com isto? A primeira conclusão é óbvia: mais importante do que o material, é a sua reutilização. Devemos usar os sacos o máximo de vezes possível!

A segunda conclusão foi por onde comecei: na guerra “sacos de plástico vs. sacos de papel”, são os sacos de plástico que devem ganhar. Afinal, são mais amigos do ambiente, enquanto os sacos de papel são assim… um lobo vestido de cordeiro.

Fonte: Pinterest
Fonte: Pinterest

Existem muitas outras coisas que podemos fazer no nosso dia a dia que são amigas do ambiente! Estas foram algumas sugestões para, quem sabe, implementarem em 2021. O meu convite é que sejam criativos no que toca ao ambiente: por muito “estúpido” que pareça, pequenas coisas podem ter impactos positivos consideráveis!

Fontes consultadas:

https://www.bbc.com/portuguese/brasil-47065644

https://zap.aeiou.pt/sacos-de-plastico-melhores-ambiente-papel-239943

Artigo revisto por Ana Sofia Cunha

Fonte da foto de capa: Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *