A Favorita- A rainha chama-se Olivia

É já neste domingo a cerimónia dos Óscares. O filme A Favorita é o mais nomeado este ano, com 10 nomeações. Apesar de os resultados ainda não terem saído, podes ficar com a nossa crítica em relação ao filme.

A Favorita passa-se no início do século XVII na Grã-Bretanha e retrata a luta pela atenção da rainha regente, Anne (Olivia Colman). Sarah (Rachel Weisz) , a sua confidente e melhor amiga, e Abigail (Emma Stone), prima distante de Sarah, que quer subir socialmente, lutam entre si para alcançar o que desejam. Tudo isto enquanto uma guerra com a França ocorre no plano de fundo.


Emma Stone e Rachel Weisz no filme A Favorita . Foto de Yorgos Lanthimos. © 2018 Twentieth Century Fox Film Corporation. Todos os direitos reservados. (http://press.foxsearchlight.com/favourite/)

A realização de Yorgos Lanthimos, conhecido pelos filmes The Killing of a Sacred Deer  e A Lagosta, e as atuações de Olivia Colman, Rachel Weisz e Emma Stone são simplesmente arrasadoras. Principalmente Olivia Colman que torna Anne uma personagem memorável. É assim que consegue trazer uma enorme sinceridade à personagem, por mais ridícula que Anne às vezes seja.

Bastava a atuação de Colman para o filme ser incrível . Mas tudo o resto mantém-se ao mesmo nível, desde o argumento deliciosamente engraçado de Deborah Davis e Tony McNamara ao guarda-roupa de Sandy Powell tão meticulosamente detalhado.

A combinação de todos estes fatores cria magnetismo à volta do filme, que cativa qualquer um desde o primeiro momento. Facilmente é possível ser absorvido pela história, o que faz sentir que se entra no ecrã.  Apesar disso, à medida que a narrativa avança, ela perde alguma da sua força inicial.


Olivia Colman no filme A Favorita. Foto de Atsushi Nishijima. © 2018 Twentieth Century Fox Film Corporation. Todos os direitos reservados. (http://press.foxsearchlight.com/favourite/)

Uma nota: não esperem um filme historicamente correto. Apesar de ser baseado em factos e personagens reais, percebemos desde o início que para o filme esse aspeto não é o mais importante, muito devido às expressões idiomáticas utilizadas. O seu foco é o comportamento humano, nomeadamente a forma como Anne, Sarah e Abigail interagem e manipulam as situações a seu favor.

A Favorita é assim um filme que não podes perder por demasiadas razões. Mas se fosse nomear uma: pela performance de Olivia Colman, que se recorda inevitavelmente sempre que o filme é mencionado.

Artigo revisto por Catarina Santos

Artigos recentes

Era uma vez

Versão em forma de tributo de uma Hollywood em transição da sua fase clássica para uma nova era mais escura. O “nono” de Tarantino não

Ler mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *