A Matrioska do Século XXI


Mariana Coelho Russian Doll, ou Boneca Russa em bom português, foi a aposta da Netflix para o mês de fevereiro. Para começar bem, lançaram logo no primeiro dia do mês os oito episódios da série (menos de um ano depois do início das filmagens!).

O facto de cada um durar apenas entre 25 a 30 minutos é a prova de que o tamanho não importa. São poucos, não haja dúvida. Em pouco mais de três horas, conseguimos assistir ao conteúdo na totalidade. Por isso mesmo, se estás à procura de algo para te entreter durante uma tarde, uma noite ou até uma manhã, quem sabe, agarra nas pipocas e devora Russian Doll.

A Boneca Russa é Nadia Vulvokov. Este nome não vos diz nada? Então e se eu vos disser que a atriz que protagoniza é Natasha Lyonne? Ainda nada? É a Nicky Nichols, de Orange Is The New Black! Em OITNB, exibe a sua cabeleira loira, mas desta vez opta por um tom ruivo! Contudo, não é a única cara conhecida e proveniente de OITNB: a atriz Dascha Polanco, que interpreta Dayanara Diaz, também participa em Russian Doll, ainda que não tenha um papel tão relevante.

Uma imagem com homem, vestuário, peruca, cabelo

Descrição gerada automaticamente
Fonte: entreterse.com.br


Russian Doll centra-se na vida de uma engenheira de software que morre no dia do seu 36º aniversário. “Então, mas se ela morre, como é que fazem oito episódios disso?” Pois, aí é que está. Nadia regressa à vida múltiplas vezes, e sempre no seu dia de anos. Não importa a causa da morte, seja ela atropelamento, queda, ataque cardíaco, asfixia ou até hipotermia. A russa vê-se aprisionada a reviver o mesmo dia. Confusa ao início, percebe que tem de existir uma razão para isto lhe estar a acontecer – eis o enredo! Depois de descobrir o porquê, parte à descoberta da solução – como quebrar este ciclo vicioso?

Durante toda esta busca, esbarra com uma revelação chocante: de que não é a única a (re)viver esta situação. Alan Zaveri, personagem retratada por Charlie Barnett, também morre vezes e vezes sem conta. O que ligará estas duas almas perdidas?

O elenco conta também com a presença de Greta Lee e Rebecca Henderson, Maxine e Lizzy, respetivamente, as amigas próximas de Nadia. Dão ainda a conhecer Ruth (Elizabeth Ashley), a tia de Nadia, que permitirá atar as pontas soltas do passado da protagonista.

Imagem relacionada
Fonte: elledecor.com

Para além de dar cara a este fenómeno, Natasha Lyonne foi uma das suas produtoras. Agora com 40 anos, a nova-iorquina é uma matrioska em sentido metafórico. Trata-se de uma boneca russa que contém dentro de si outras matrioskas mais pequenas. Os seus tamanhos vão diminuindo até chegar à última, que não é oca. Para a série, estas bonecas de madeira simbolizam, a meu ver, todas as versões de Nadia que acabam por “renascer” cada vez que esta morre. Vão saindo uma atrás da outra, dia após dia, com cada vez menos espaço e sucessoras. Estás confuso/a? Vê o trailer, pode ser que entendas de que falo: https://www.youtube.com/watch?v=YHcKoAMGGvY

Já está confirmado que teremos mais episódios da Boneca Russa em 2020, provavelmente no início do ano. Até lá, aproveitem para ver os que já saíram, porque só têm a ganhar. Têm de estar realmente concentrados no ecrã, senão vão perder o fio à meada. Esta série, que está há sete anos a ser construída, tem várias camadas, tal como as matrioskas. São muitas drogas, muitos dilemas existenciais e quebra-cabeças. Envolve universos paralelos e entreajuda, WC’s e dilemas existenciais. Mas, acima de tudo, tem lições de moral importantes. Arrisca!

Artigo revisto por Catarina Gramaço

Artigos recentes

Era uma vez

Versão em forma de tributo de uma Hollywood em transição da sua fase clássica para uma nova era mais escura. O “nono” de Tarantino não

Ler mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *