Moda e Lifestyle

As tendências imperdíveis para o Outono/Inverno de 2020!

Se és como eu e percebes pouco ou nada de moda, este artigo pode vir a ser-te útil. Fiz umas pesquisas para descobrir, afinal, quais as peças que temos de ter no roupeiro para as estações frias que se avizinham. Curiosamente, é mais ou menos consensual o tipo de roupa que mais se vai ver nos próximos meses – aquele de que precisas para acompanhar as tendências. Claro está que cada um tem o seu gosto pessoal e não deve, de forma alguma, depender do que a indústria da moda define como certo ou errado, atual ou antiquado.

  • Cor do Momento: Bege
Legenda: Não há cor que combine mais com o outono que o bege.
Fonte: Instagram da Inês Ribeiro (inesribeirooficial)

Se há cor que tem predominado pelas ruas, é o bege. Na verdade, todos os castanhos têm estado em voga, mas não se compara ao tom mais claro. Quer seja bege da cabeça aos pés ou apenas um apontamento, um look com esta cor tem o sucesso praticamente garantido. O bege permite um visual sofisticado, sem grande esforço, mas, ao mesmo tempo, conseguimos conjugá-lo na perfeição se o objetivo for dar nas vistas. Esta cor é sinónimo de elegância e dá logo um ar mais adulto a quem a veste. Versátil, combina inegavelmente com as cores do outono, com as folhas que enfeitam o chão e com os lattes quentinhos e deliciosos. 

  • Coletes de Malha
Legenda: Estes coletes de malha vêm em vários tamanhos e feitios.
Fonte: Instagram da Rita Serrano (rita_serrano)

Pois é, malta. O colete – uma peça que não é tão comum assim – está na moda. É impossível não reparar nisso, quer seja nas lojas que têm todas uma variedade do modelo, quer nas fotografias do Instagram. Refiro-me, em particular, aos coletes de malha. Se há pouco falávamos de elegância, o tópico mantém-se. Esta peça exala profissionalismo, por alguma razão. Com gola alta ou sem gola. Com mangas ou sem mangas. Com decotes em V ou… bem, vocês já perceberam.

Se os coletes encaixam no meu estilo? Nem pensar. Se já por duas vezes me dirigi a uma loja de propósito para encontrar um colete específico? Talvez. Chamem-lhe lavagem cerebral, mas não me importava nada de participar nesta trend. Ao contrário do que possa parecer, é possível combiná-los de várias formas. A minha preferência pessoal são mesmo os coletes de malha sem mangas e com decote em V. Conjuguem um, metam a pasta do computador numa mão e o telemóvel noutra e depois digam-me se não se sentiram as mais produtivas de sempre. Ou seja, é caso para dizer que, nesta estação, os coletes são ganda malha.

  • Camisas Brancas
Legenda: As camisas brancas são uma peça indispensável no roupeiro.
Fonte: Instagram da Mafalda Sampaio (mafalda.sampaio)

São inevitáveis. Tens de ter pelo menos uma no teu closet. É um investimento fundamentado, pois há várias maneiras de as utilizar. No entanto, nos próximos tempos, vão ser necessárias. Logo à partida, para conjugar com um colete de malha de que falei ainda agora. Mas não só: aposto que já viste alguém a usar uma malha por cima de uma camisa branca. Logo aí, basta pensares nas malhas que tens lá por casa a encher as gavetas e fica logo claro o porquê de teres de adquirir uma camisa branca.

  • Cardigans
Legenda: Em cores mais discretas ou mais chamativas, os cardigans vêm para ficar.
Fonte: Instagram da Filipa Alturas (filipaalturas)

Também podemos chamar-lhes ‘casacos de malha’, mas assim é mais fashionable. Podes achar piroso, mas estaria a mentir se dissesse que os looks que vi com estas peças não me surpreenderam pela positiva. Já se fazem de todas as cores – mais ou menos berrantes. Confortáveis, bonitos e úteis, tornam-se uma adição excelente ao teu guarda-roupa. Os meus preferidos são aqueles mais curtinhos, com botões maiores e com uma malha mais grossa. Se não quiseres gastar dinheiro nesta peça, podes sempre assaltar o armário da tua avó.

  • Camisolas de Gola Baixa
Legenda: As camisolas de gola baixa são a melhor alternativa para os haters de gola alta.
Fonte: Instagram da Sofia Barbosa (sofia.barbosa)

Se, como eu, eras daquelas crianças que detestavam usar gola alta e, desde então, ficaram marcadas para a vida, está aqui a oportunidade para ti. A sensação de vestir uma camisola de gola alta (principalmente uma malha) e de tê-la a roçar a nossa cara… no mínimo, traumático. Há sacrifícios que vale a pena fazer para estar na moda, mas usar gola alta não é um deles. Se calhar já se fazem golas que não são tão sufocantes e que não picam tanto, mas ainda estou para ganhar forças para averiguar.

Contudo, este tópico não é sobre camisolas de gola alta. Nem eu vos faria isso. É, sim, sobre as suas substitutas: as camisolas de gola baixa. Sim. É possível conseguires aquele visual sofisticado sem ficares sem pescoço. A gola baixa é surpreendentemente bonita e, com os acessórios adequados, fica a matar. Podes sobrepor o colete que adquiriste depois de ler este artigo a uma destas camisolas. Estarás pronta para impressionar os sogros ou para arrasar aquela entrevista de emprego.

  • Blazers
Legenda: Também eles uma peça essencial no armário de todas nós.
Fonte: Instagram da Adri Silva (adri.silvaaa)

Estamos crescidas. Quem nunca pensou em abrir a carteira para um blazer? Acabou-se a desculpa do “não sei quando vou ter uma ocasião para o usar”. É útil para as apresentações orais na faculdade (mesmo por Zoom, ainda que tenhas calças de pijama por baixo), para o trabalho, para uma saída ou até para aprimorar o teu outfit. Colocar um blazer dá-lhe logo um outro ar. Parece que te esforçaste quando, na verdade, tudo o que fizeste foi colocar umas calças de ganga e uma camisola branca. São quentinhos, práticos e garantem a seriedade pretendida para toda e qualquer ocasião. Com ou sem padrão, são uma aposta ganha.

  • Cabedal
Legenda: Cada vez mais se aposta no cabedal para visuais de corpo inteiro.
Fonte: Instagram da Catarina Maia (catarinabmaia)

Não sabia se havia de lhe chamar cabedal, napa, couro ou pele (falsa, sempre). Optei por ‘cabedal’, pois foi como sempre me referi a este género de tecido. Já há algum tempo que andamos a ver muito o cabedal – tanto nos casacos, como, mais recentemente, nas calças. Continuo sem aderir à moda das calças de cabedal – o medo de parecer um pneu fala mais alto. O facto é que cada vez gosto mais dos looks com estas calças, quer sejam as justas, quer sejam as mais largas. Conseguem garantir um toque mais glamoroso a um figurino, à partida, banal. 

Para as estações que se seguem, o cabedal tem sido uma grande aposta. Não só por haver cada vez mais peças com este tecido, como por, muitas vezes, o utilizarem para um ‘full look’, ou seja, todo o outfit é composto por cabedal. Desde apenas um vestido de cabedal que já é um grande statement, até cabedal na parte de cima, na parte de baixo e nos acessórios. Eu prefiro ver enquanto apontamento, não sou tão drástica. Mas também não nego que pode resultar.

  • Trench Coats
Legenda: Um investimento que faz sentido e que não passa de moda.
Fonte: Instagram da Bárbara Corby (barbaracorby)

Eu traduzo: basicamente, gabardines. Mas, mais uma vez, esta é a forma fashionable de nos referirmos a estes casacos compridos. Não me refiro àqueles que vestes apenas para te proteger da chuva, nem aos foleiros, mas aos que dão um ar clássico a quem os veste. Apesar de não serem baratos, são um investimento que vale a pena tanto pela sua qualidade, como pela sua intemporalidade. Se não sabes em que casaco investir, está aqui a tua resposta.

  • Malas ‘Baguette’
Legenda: Não são para todos os gostos, nem são o acessório mais prático.
Fonte: Instagram da Maria Rodrigues (mariarodriguesx)

Para vos ser honesta, não sei se vou aderir a esta moda. Contudo, não seria justo fazer uma lista de essenciais de outono/inverno sem as referir. Já se instalaram há uns bons meses, ainda nas estações quentes, mas parece-me que vieram para ficar. De início, detestei. Agora, apesar de ainda não me terem convencido, já gosto mais de ver. Faz-me confusão pensar no tamanho reduzido e na quantidade de coisas que (não) consigo carregar com uma delas. Afinal, é esse mesmo o propósito de uma mala. Além disto, não são para toda a gente, nem para todos os estilos. Procuram um público específico. E, surpreendentemente, estão a conquistá-lo.

  • Botas Militares
Legenda: As botas militares são mega tendência para este outono/inverno.
Fonte: Instagram da Inês Rochinha (inesrochinha)

Incluí-las neste artigo dói-me um pouco. Porquê? Não, não é por pensar no quão pesadas devem ser e nas dores que devem causar. Tenho esperança de que nem todas sejam assim. Causam-me mágoa, pois foi há pouco tempo que me livrei (como quem diz ‘doei’) das minhas botas militares, que comprei há uns anos, quando se começaram a usar. Modas cíclicas, dizem eles. Porém, passaram vários invernos dentro da sapateira sem sequer lhes tocar. Claro que, quando finalmente decido deixar de acumular, abro mão dos sapatos mais populares destes meses frios.

Ainda estou a decidir se vou comprar umas novas. Não por capricho, mas porque tenho ficado espantada com a variedade de looks que elas proporcionam. Um vestido e umas botas militares? Resulta. Saia e botas militares? Resulta. Umas mom jeans e umas botas militares? Adivinhem. Resulta! A pressão é tanta que chego a sentir que preciso mesmo de umas. Como se não tivesse botas suficientes…

Espero ter-te ajudado minimamente a escolher quais serão as tuas próximas compras – quer sejam já no próximo fim de semana, na Black Friday ou nos saldos a seguir ao Natal. Por uma questão de sustentabilidade, verifica primeiro no teu armário se não possuis já algo do género. És livre de não te identificar com nenhuma das peças acima citadas. Ainda assim, tenta prestar mais atenção ao que se tem usado e procura perceber se, ao veres os conjuntos, continuas sem gostar. Tenho vindo a tentar abdicar do ceticismo e isso faz-me olhar para as peças de outro modo. Experimenta!

Artigo revisto por Bruna Gonçalves

Fonte da foto de capa: Kupicoo / Getty Images

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *