Avaria na linha de emergência do 112: noite atribulada no INEM

[wpupg-grid]Uma avaria na central elétrica condicionou o funcionamento dos Centros de Orientação de Doentes Urgentes (CODU). Através de um comunicado à Agência Lusa, na manhã desta quinta-feira, o INEM esclareceu que o alerta da avaria foi dado às 23h20 de quarta-feira e de imediato foi ativado o plano de contingência da linha de emergência do 112.

O Instituto Nacional de Emergência Médica deu o alerta da avaria na central elétrica pelas 23h20 que, de imediato, foi comunicado à empresa responsável pela manutenção da referida central. O INEM ativou o plano de contingência da linha de emergência do 112 e afirmou que estavam a ser “desenvolvidos todos os esforços no sentido de garantir a resolução célere desta situação, de modo a repor o funcionamento pleno das suas Centrais Médicas”. Apelou, ainda, à “colaboração dos cidadãos, solicitando que utilizassem o Número Europeu de Emergência – 112 -, apenas em caso de emergência médica”.

Fonte: Público, João Silva

As chamadas foram encaminhadas para os telemóveis de reserva disponíveis no CODU, garantindo, deste modo, a continuidade do funcionamento dos mesmos. Para outras situações de menor gravidade ou de aconselhamento, os portugueses deveriam ligar para o Serviço Nacional de Saúde através do 808 24 24 24.

A avaria implicou que, pelas 00h21 desta quinta-feira, os registos fossem feitos à maneira antiga com papel e caneta, com constrangimentos agravados pela escassez de operadores do CODU.

A Associação de Proteção e Socorro (APROSOC) dava conta de que o sistema informático que gere o CODU avariou às 23h18, tendo alegadamente, apenas 20 minutos mais tarde, sido implementada a alternativa de transferência das chamadas 112 para telemóveis. Ou seja, durante cerca de 20 minutos “a população de Portugal continental esteve sem acesso ao serviço de emergência médica”, refere um comunicado da APROSOC.

Fonte oficial do Público, no INEM, garantiu que o problema foi resolvido por volta das 04h00 da madrugada, não conseguindo precisar o impacto que teve a nível de chamadas não atendidas.

Fonte: Gustavo Bom / Arquivo Global Imagens

Artigos recentes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *