Benfica foi Rey na Luz

Benfica foi Rey na Luz

Decorridos 13 jogos para cada equipa, a classificação está “normalizada”. O FC Porto, que começou a época de forma atípica, somando várias derrotas, está em 3ºlugar. A Oliveirense, campeã em título, encontra-se em 2º, com apenas 1 derrota, contra o SL Benfica. O clube da Luz segue invicto e mostra querer recuperar o título nacional.

SL Benfica 112 x 66 Esgueira/Aveiro/Oli

Na 13ª jornada, o Benfica venceu por 112×66 o Esgueira, no Pavilhão Fidelidade, diferença pontual muito dilatada, retratando bem as diferenças entre o clube encarnado e a equipa de Aveiro, o que foi sentido na Liga. O jogo marcou a 4ª presença de Xavi Rey na Liga, poste espanhol contratado pelos encarnados para esta época, mas que se lesionou logo no início dos trabalhos.

Num jogo sem história, no qual não jogaram Juan Cantero, base argentino que substituiu Quentin Snider no plantel das águias, e Cláudio Fonseca, poste português que se encontrava em grande forma, foram vários os jogadores a brilhar no Benfica, com destaque para quatro brilhantes prestações de quatro reforços. Xavier Rey, vindo da ACB, foi o MVP com 36 pontos de valorização, somando 13 pontos, 14 ressaltos e 8 assistências, ficando assim a 2 do triplo-duplo. O espanhol mostra ser um poste de grande qualidade e muito completo, prometendo ser um jogador fulcral para a caminhada da equipa da Luz na Liga Portuguesa de Basquetebol. Miguel Maria Cardoso, base português contratado pelo Vitória SC, continua a dar mostras de qualidade e afirma-se como o melhor base nacional, com 12 pontos, 13 assistências e 8 ressaltos, também a roçar o triplo-duplo. Micah Downs, aquele que é para mim o melhor jogador desta Liga Portuguesa de Basquetebol e um dos melhores dos últimos largos anos, averbou 26 pontos, 4 ressaltos e 4 assistências. Alex Suárez confirma as suas credenciais de lançador, com 5 triplos convertidos em 6 tentativas, num total de 23 pontos.

Do lado do Esgueira, destaca-se os 25 pontos de Greg Alexander, mas com baixa eficácia, com 2/10 de 3 pontos. Tratou-se de um jogo apagado de Ty Toney, uma das figuras do campeonato, muito por culpa do grande jogo do SL Benfica. Foi um jogo muito desequilibrado entre o 1º e o 5º classificado, comprovando a diferença qualitativa entre as três equipas do topo e as restantes.

Fonte: SL Benfica. Micah Downs, numa das suas espetaculares jogadas!

FC Porto 104 x 84 Ovarense

O Futebol Clube do Porto recebeu e venceu a Ovarense por 20 pontos de diferença, tendo até entrado a perder no primeiro período (23×27), mas lidera todos os períodos seguintes.

Após uma entrada em falso na Liga, a equipa de Moncho López recupera terreno perdido e já se encontra no 3º lugar. Destaque para o suspeito do costume: Will Sheehey, com 31 pontos de valorização MVP, ou seja, 20 pontos marcados, 8 ressaltos e 3 assistências, bem secundado por Sasa Borovnjak, com 17 pontos, 7 ressaltos.

Do lado da equipa de Ovar, os melhores jogadores em campo foram João Fernandes, com 18 pontos e 6 ressaltos, e Khalen Cumberlander, com 21 pontos e 5 roubos de bola.

Fonte: FC Porto. Will Sheehey a afundar, com João Fernandes sem querer olhar

SC Lusitânia 77 x 85 Terceira Basket

Na tarde de sábado houve derby terceirense, num Pavilhão Municipal de Angra do Heroísmo bem composto, como é apanágio dos jogos entre as 2 equipas da ilha Terceira. Após uma vitória por 3 pontos do SC Lusitânia, no derby da primeira volta, a vitória acabou por pender para o lado do Terceira Basket, que iguala em pontos os verdes da Sé, com vantagem no confronto direto. É assim uma vitória importante naquelas que podem ser as contas futuras do apoio do turismo dos Açores à equipa açoriana melhor classificada.

Num jogo sempre renhido, a vida dificultou-se para o SC Lusitânia, quando Martynas Andriuskevicius, poste lituano de 2,18m, foi expulso com 2 faltas técnicas. Foi o único jogador capaz de travar o imponente Rozelle Nix do TBC, de 2,10m e 140 kg. A diferença no jogo interior potencializou uma recuperação do Terceira Basket. No momento decisivo da partida, foi Derreck Brooks a tomar as rédeas do ataque e, brilhantemente, a levar a sua equipa à vitória no prolongamento. Terminou o jogo sendo o MVP, com 24 pontos e 11 ressaltos. Destaque ainda para as boas exibições de Miguel Toreia, com 12 pontos, 4 ressaltos e 5 assistências, e do próprio Rozelle Nix, com 16 pontos e 7 ressaltos.

Do lado do SC Lusitânia, Phil Taylor e Amadou Sidibe foram, como o habitual, os jogadores mais valorizados da equipa, embora com exibições, em geral, pouco conseguidas, em especial do base e de Desmond Simmons, que fez uma boa partida, na primeira parte.

Fonte: Terceira Basket/Mário Picanço: Derreck Brooks sempre de olhos postos no cesto

NOTA: À data de escrita do artigo faltava decorrer a partida entre Galitos e CAB Madeira.

Corrigido por: Catarina Gramaço

Artigos recentes

Era uma vez

Versão em forma de tributo de uma Hollywood em transição da sua fase clássica para uma nova era mais escura. O “nono” de Tarantino não

Ler mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *