Começa o semestre como um rei

Com o arranque de um novo semestre, só há um lugar que te vai dar as forças necessárias para o enfrentar e começar da melhor maneira: O Padeiro. Curioso? Descobre o que esta pastelaria tem de tão especial.

Sábado, 11h da manhã. Já se começa a notar um fluxo acrescido de pessoas que entram neste início de fim-de-semana n’O Padeiro. Qual a razão? O fantástico Brunch que é servido todos os fins-de-semana das 11h às 16h. Localizado nas Avenidas Novas, O Padeiro abriu há cerca de três anos e a ideia de começar a fazer um brunch ao fim-de-semana surgiu há cerca de dois meses.

O brunch custa 10 euros e uma das características que o faz distinguir dos demais brunches da nossa capital (para além do preço “apetecível”) é uma simples razão: pode-se repetir as vezes que se quiser. A gerência decidiu inserir esta modalidade porque não queriam “ser só mais um brunch na cidade” e também de forma a que este seja acessível a todos, não restringindo ninguém, e que os clientes não sejam limitados a um menu apenas e, caso gostem muito do que comeram, tenham a possibilidade de repetir.

[cycloneslider id=”brunchpadeiro1″]

O espaço tem um piso terrestre e um andar de cima em que uma parte é exclusivamente dedicada ao brunch; no total são cerca de 150 lugares sentados. A pastelaria, tal como o serviço de almoços, funciona paralelamente enquanto decorre o brunch. Durante o fim-de-semana, cerca de 350 pessoas vêm tomar brunch n’O Padeiro, sendo que uma grande maioria vem ao Domingo. Aqui, todos os produtos são feitos no dia e os que sobram são entregues à Refood. O facto d’O Padeiro ter fabrico próprio permite que esteja constantemente a sair travessas com bolos e salgados frescos e feitos na hora, de forma a que seja feita a reposição da comida no brunch.

A partir das 12h já se notava um aglomerado na zona onde é servido o brunch. Por momentos, pensamos que estamos num hotel, não só pela quantidade de línguas estrangeiras que se ouve falar, como a existência de uma enorme variedade de produtos associada aos pequenos-almoços de hotel.

Uma das coisas que este brunch tem a seu favor é a quantidade de variedade que há de tudo. Comecemos pelas bebidas: aqui não uma, mas sim três variedades de sumos com ingredientes muito fora de normal. Deparámo-nos com um sumo rosa de couve roxa e abacaxi, um vermelho de beterraba, maçã e cenoura e um cor-de-laranja que continha manga e laranja. Todos os sumos eram naturais, bastante saborosos e cheios de cor. Numa máquina perto dos sumos servia-se chá,  leite e café. O café é bastante suave e bom.

[cycloneslider id=”brunchpadeiro2″]

Ao lado, encontravam-se as mais diversas variedades de pão, salgados e bolos. N’O Padeiro, têm a preocupação de não ter só uma variedade de uma coisa mas sim várias, como é o caso do pão, onde havia bolinhas de pão mais escuras, claras e pão de deus. Relativamente aos salgados, na mesa encontravam-se recipientes com croissants (normais e integrais), folhados de salsicha e merendas.

[cycloneslider id=”brunchpadeiro3″]

Relativamente aos bolos de pastelaria, estavam dispostas na mesa miniaturas de bolas de berlim e pastéis de nata, algo que não se vê nos brunches servidos na capital, haver miniaturas. No fim da mesa, deparamo-nos com um bolo verde de espinafres (uma receita exclusiva d’O Padeiro) e um  bolo de mármore laranja, todos caseiros e frescos.

[cycloneslider id=”brunchpadeiro4″]

No balcão oposto a esta mesa, podia-se encontrar tudo que se associa ao pequeno almoço continental, como ovos mexidos e cozidos, salsichas, cogumelos e bacon. Ao lado, uma salada para acompanhar,  por sinal bastante trabalhada e disposta no prato de forma cuidada e arranjada.

[cycloneslider id=”brunchpadeiro5″]

No mesmo balcão, encontra-se também uma taça gigante com iogurte natural, bastante saboroso, uma rica salada de frutas com bastante variedade e cereais. Estes ingredientes combinam muito bem juntos, sendo esta uma opção para alguns dos clientes n’O Padeiro.

Mas este brunch não acaba por aqui. Na mesma mesa encontrava-se também pratos com fiambre, quiche de  vários sabores, queijo fresco e um bolo de chocolate cremoso.

Como é de imaginar, o feedback dos clientes tem sido bastante positivo, mencionando a boa qualidade do que é servido. Toda esta variedade de comida disposta, feita no dia, tal como a sua variedade, juntamente com o espaço agradável e a simpatia de todo o staff faz com que O Padeiro tenha um brunch digno de rei, sendo impossível encontrar pontos a apontar menos favoráveis neste espaço.

[cycloneslider id=”brunchpadeiro6″]
Fotografias: Ana Rita Nunes

Artigos recentes

Um adeus a Luis Sepúlveda

Um mês depois da sua morte devido à covid-19, Luis é ainda relembrado – com uma história de vida incrível, certamente memorável para muitos. Escritor,

Ler mais »

Problemas maiores, Carlos?

Claro que eu não discordo totalmente do ponto fulcral. Há problemas maiores. Haver pessoas a morrer é pior do que eu não ter conseguido celebrar

Ler mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *