7ª Arte

Da minha janela: mais um drama adolescente?

Se utilizas a plataforma TikTok muito provavelmente já te deparaste com, pelo menos, um vídeo sobre o novo filme da Netflix Da minha janela (Através de mi Ventana, originalmente). A película estreou mundialmente dia 4 de fevereiro de 2022 e, aparentemente, está a dar o que falar: o que me levou a assistir a este filme. Se também estás curioso/a e queres saber se esta história vale a pena ou não, continua a leitura deste artigo!

Fonte: Netflixlife.com

Da minha janela conta a história de Raquel (Clara Galle) que se apaixona pelo seu vizinho Ares (Julio Penã) – “stalkeando” as suas redes sociais diariamente e observando-o através da janela do seu quarto com alguma frequência. Aparentemente, Ares nunca se interessaria por Raquel, uma rapariga tímida à primeira vista e que pertence a uma classe social diferente da sua, mas a irreverência e personalidade intrigante da rapariga acabam por captar a sua atenção. 

Raquel e Ares são as personagens mais típicas de sempre dos filmes de drama/romance: a rapariga envergonhada em quem ninguém repara (à exceção do seu melhor amigo, que sempre foi apaixonado por ela), ainda que apresente uma imensa beleza; e o bad boy rico e popular que não quer criar laços afetivos com ninguém. Como já era de se esperar, estes dois não vão ter uma relação muito pacífica, como em todos os filmes deste género. 

Não querendo revelar demasiado sobre o filme – entre as festas, aulas, discussões e muitas (ênfase no “muitas”) frases cliché -, Da minha janela é só mais um drama adolescente com uma história muito superficial. As aproximações emocionais entre as personagens são demasiado rápidas, contudo, são seguidas de momentos demasiado parados e acontecimentos sem grande nexo. Diria ainda que o filme se assemelha demasiado ao sucesso mundial After.

Fonte: Cinemaexpress.com

À semelhança do filme anteriormente referido, Da minha janela também é baseado num romance que (pasmem) é uma trilogia que começou a ser escrita no WattPad, o que me leva a crer que em breve poderemos ver chegar à plataforma de streaming uma segunda parte (e quem sabe uma terceira) da longa-metragem. 

É um filme interessante, com bons diálogos e com uma história consistente que vale a pena ver? Não, é só mais um drama adolescente no catálogo da Netflix. É overrated? Sim, mas também não é um filme de que não vais gostar, uma vez que o único “problema” é a dimensão atribuída a todas as falas e acontecimentos do filme: tudo muito romantizado e distante da vida real. 

Se queres ver um filme ao qual não tens de estar mega atento; se gostas deste género; se não tens nada para fazer; e se queres rir um pouco com este casal nada improvável: go for it!

Fonte da capa: larepublica.pe

Artigo revisto por Beatriz Merêncio

AUTORIA

+ artigos

Quase ingressou no curso de cinema aquando do início da sua jornada no ensino superior, porém, à última hora, decidiu que afinal queria enveredar pelo mundo do jornalismo. Veio da área dos números, mas após a sua entrada na ESCS Magazine - que tomou como um desafio - descobriu um gosto imenso pela escrita. Agora, enquanto editora da Secção de 7ª Arte, ambiciona proporcionar o conforto que sentiu quando entrou na Magazine a todos aqueles que, tal como ela, são apaixonados por cinema.