Capital

#FollowMe

Não, isto não é um pedido pessoal para me seguirem no Instagram, mas sim o nome da exposição do artista suíço Noël Fischer, que atualmente se encontra exibida na capital. Noël Fischer convida todos a segui-lo e acompanhá-lo em vários momentos do seu quotidiano.

Follow Me foi inaugurada dia 5 de novembro e irá permanecer até dia 12 de dezembro na Galeria Monumental, onde o artista exibiu a sua exposição de pintura e instalação em 2007, “O lugar do crime”.

A exposição deste artista encontra-se dividida em duas partes. Na primeira sala, encontramos 700 azulejos (sim, 700) pintados a três cores, produzidos na fábrica de cerâmica Viúva Lamego. Em cada um deles, o artista desenhou esboços alusivos aos seus diários gráficos dos últimos dez anos. De longe, parecem apenas azulejos brilhantes: só de perto é que se consegue ver os desenhos. A ideia inicial do artistaera mantê-los para uso próprio, mas acabou por torná-los públicos.

imagem-1
2Na segunda, encontramos uma série com cerca de 100 telas com vários tamanhos que relatam o quotidiano de Noël Fischer; no fundo, um Instagram “ao vivo” exposto na parede. Normalmente no Instagram, postamos fotografias do nosso almoço, do passeio à beira-mar e do crepe com nutella e chantilly. Nesta série de quadros vemos momentos retratados, muito semelhantes aos que se encontram nesta rede social: selfies do autor em Vieira de Leiria e no Campismo do Baleal, um almoço  de carapaus, uma viagem de comboio, gatos a brincar na rua, uma embalagem de Fizz de limão… Tal e qual como no Instagram, certo? A maioria destas “fotos” foram desenhadas em Lisboa, dado que o autor passou cá uma temporada. Noël Fischer ficou alojado em Santa Iria da Azóia e achou piada a certos pormenores, como é o caso de cartazes a anunciar o Circo de Victor Hugo Cardinali, onde se inspirou para pintar dois quadros. Outras obras foram inspiradas em momentos do autor passados na Suíça, como é o caso de várias imagens de pubs e mesmo da cidade onde Noël Fischer vive.

3

4

Curiosamente, Noël Fischer é licenciado em medicina. Seis anos depois de ter terminado este turno, tirou o curso de desenho na Escola Superior de Belas Artes e mais tarde estudou cenografia na mesma Escola.

A partir de 2001 começou a trabalhar em ilustração para jornais, revistas, cartazes publicitários e cenografia para exposições, eventos e cinema. A sua primeira exposição realizou-se em 2001  em Zurique, Suíça, e teve o nome de “Filmbilder”.

A Galeria Monumental encontra-se no Campo Mártires da Pátria e para lá chegar pode-se apanhar os autocarros da Carris 767 e 723. A Galeria está aberta de terça a sábado, das 15h às 19h, e a entrada para esta exposição é livre.

5

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *