Game of Thrones: Winter has come and gone

O mês de maio significou, para muitos fãs dedicados, o final de Game of Thrones. A série norte-americana baseada na obra A Song of Ice and Fire, de George R. R. Martin, chegou ao fim e trouxe consigo emoções fortes, embora nem todas positivas.

A última temporada, e talvez a mais aguardada pelo público, revelou o final das personagens por quem nos temos vindo a apaixonar ou que temos continuado a desprezar durante as sete temporadas anteriores.

Spoiler Alert! (Se ainda não cedeste à tentação de ver Game of Thrones, é melhor parares de ler por aqui).

Desde o início que somos levados a crer que seria Daenerys Targaryen, “first of her name, mother of dragons and breaker of chains”, a ocupar o trono de ferro. Afinal, depois de tudo o que conquistou e após a derrota de Cersei, um simples trono não deveria ser o problema. A certa altura, começa também a surgir a possibilidade de ser Jon Snow a ocupar este lugar, possibilidade essa que fica consolidada quando descobrimos a verdadeira identidade do suposto bastardo – acontece que o Rei no Norte deveria ser o Rei em Westeros. Por outro lado, com a série a chegar ao fim, muitos fãs desejavam ver Tyrion Lannister no trono. Mas parece que nenhum destes planos se realizou.

Fonte: Wiki of Thrones

A verdade é que quando o único pretendente ao trono deixa de ser uma opção (afinal, matou a sua rainha/amante/tia), é tempo de seguir em frente e considerar outras soluções. Mas Bran Stark foi o melhor que arranjaram? Alguém que foi literalmente levado ao colo durante temporadas seguidas? (Pobre Hodor). 

Depois de tantos que lutaram e morreram pelo trono de ferro, é, de facto, Bran Stark, cuja história se mantém até ao último episódio completamente afastada da luta por Westeros, que é escolhido para governar. Na minha opinião, mais valia terem seguido as sábias palavras de Sam e terem deixado a Democracia decidir.

Fonte: Wiki of Thrones

E por falar em finais, muitas personagens viram a sua jornada chegar ao fim neste último episódio. Para outras, como Arya Stark, este final é apenas o início.

Jamie Lannister fez-nos perceber que, por mais temporadas que venham, há coisas que nunca mudam. Como seria de esperar, deixa Brienne of Tarth destroçada e começa a sua jornada de volta para os braços de Cersei, com esperança de a salvar. O problema é que quando finalmente a encontra já não há nada a fazer. Os dois acabam por morrer soterrados e por pouco não se salvaram. Na minha opinião, foi o facto de quase terem escapado ao seu terrível destino e a constatação de que já não iriam conseguir sair dali que tornou este final digno da história de ambas as personagens.

Já Daenerys teve um final inevitável. Toda a sua luta, tudo o que perdeu e que conquistou, culminou na morte pela mão da única pessoa que dizia amá-la. Depois da morte de Missandei, a Rainha segue os passos do seu pai, o Mad King, e decide queimar King’s Landing, mesmo após Cersei se render. Quando Jon Snow tenta convencê-la a perdoar os seus inimigos, percebemos que Dany não vai mudar de ideias e que só resta uma solução. Jon acaba por se ver obrigado a tirar a vida à mulher que ama pelo bem do reino e, no final, vemos Drogon a levar Daenerys para longe, como se aceitasse o que o destino lhe trouxe. Esta cena corresponde, talvez, a uma das traições mais inesperadas da série. 

Fonte: Forbes

Após matar a sua rainha e amante, Jon vê-se de volta à Muralha. Depois de ser Rei no Norte e de descobrir a sua verdadeira identidade, volta para o mesmo sítio onde começou a sua jornada, como se retornasse à sua condição inicial – enquanto filho bastardo de Ned Stark. Este foi um final anticlimático, tendo sofrido fortes críticas por parte dos fãs.

Parece que apenas Tyrion teve um final minimamente feliz. Depois de perceber que os seus irmãos não escaparam à fúria de Daenerys, em quem ele acreditava, e de ser emprisionado por ela, o anão é nomeado mão do rei, um cargo que, na minha opinião, lhe assenta na perfeição. 

Fonte: Cosmopolitan

Com o final da série, muitos fãs viram o seu coração destroçado com os desfechos que David Benioff e D.B. Weiss escolheram para estas personagens. Mas, quer sejas uma das pessoas que ficaram desiludidas com o final da série ou uma das poucas que gostaram da forma como a história acabou, a verdade é que Game of Thrones vai deixar saudades.

Fonte “thumbnail”: Variety

Artigo revisto por: Joana Silvério

Artigos recentes

A arte para além de uma moldura

A exposição “Genius or Vandal – an unauthorized show” chegou a Portugal no dia 14 de junho à Cordoaria Nacional, em Lisboa, onde estará aberta

Ler mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *