7ª Arte

“Hostiles”: amor e ódio de mãos entrelaçadas

Hostiles é uma história de redenção e consciencialização, envolta num ambiente de extrema violência, que nos transporta para a dura realidade da colonização do oeste americano.

O filme inicia-se com o brutal assassinato de toda a família de Rosalie (Rosamund Pike) por uma tribo de índios. O ano é de 1862 e estamos em plena época de colonização do território oeste americano, e é, sobretudo, uma época de ódio perante os nativos americanos. O capitão Joseph J. Blocker (Christian Bale) é um desses homens, que vive sob um sentimento de puro ódio contra indígenas, e leva o seu dia-a-dia a capturá-los e a prendê-los. Mas a sua missão muda de figura quando, por ordens do Presidente, Blocker e o seu plantão são obrigados a escoltar a família do Chefe Cheyenne de volta às suas origens. Pelo caminho Joseph depara-se com Rosalie que, então viúva, decide também embarcar nesta jornada, tornando-se na protegida do capitão.

Esta será, na verdade, uma caminhada em direcção à redenção de Joseph Blocker, e de todos aqueles que estão consigo, perante todo o sofrimento com que se deparam. Diante das diversas adversidades que vão encontrar por todo o caminho, índios e americanos terão de juntar forças. Assim nasce um sentimento de compreensão entre ambas as partes. Paralelamente a esta vertente histórica, vemos nascer um amor, traçado pela dureza da vida de cada um, entre Rosalie e Joseph.

Um filme todo ele traçado pela violência que desde do primeiro minuto se faz sentir, que contrasta com a opção de Scott Cooper de criar também longos momentos de silêncio e de escassa ação, onde os planos enfatizam principalmente a paisagem. Isto deixa no espectador um sentimento de harmonia, enquanto o ódio dos americanos se dissipa e o arrependimento vem ao de cima.

Um filme sobre perdão que contém em si uma mensagem de grande valor e que relembra uma época que não deve nem pode ser esquecida, principalmente nos dias de hoje. E, apesar de não podermos falar de grandes desempenhos por parte dos atores, ou de uma história extraordinária, “Hostiles” não deixa de ser uma boa aposta do cinema, que chega a Portugal no dia 22 de Março.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *