Desporto

Miguel Oliveira consegue pódio depois de grande recuperação

O piloto português garantiu, este fim-de-semana, o segundo pódio da temporada em Moto 2 no Grande Prémio das Américas. Este foi o primeiro pódio de sempre de Miguel Oliveira no circuito americano depois de terminar a prova no terceiro lugar.

Este foi um fim-de-semana de altos e baixos para o piloto português. Tudo começou na sexta-feira, dia de duas sessões de treinos livres para Moto 2. O piloto de Almada mostrou-se forte desde o início, conseguindo terminar ambas as sessões com o melhor tempo da tabela. Apesar de a pista não estar nas melhores condições devido à poeira, o piloto português conseguiu estabelecer um bom ritmo, numa altura em que as previsões para o fim-de-semana eram de mau tempo.

Miguel Oliveira não poderia ter terminado melhor o primeiro dia em solo americano.

O mesmo não se pode dizer da qualificação, que decorreu no sábado. Chegado o segundo dia no Circuito das Américas, e depois de ter sido o piloto mais rápido nas sessões combinadas de treinos livres, Oliveira não conseguiu encontrar o mesmo ritmo do dia anterior. Apesar das constantes ameaças, a chuva acabou por dar tréguas na sessão de qualificação, o que permitiu que os pilotos utilizassem os pneus macios. O piloto português não conseguiu, apesar disso, superar os tempos do dia anterior. Este foi um dia complicado para o piloto da Red Bull KTM Ajo que se ficou pelo 12º melhor tempo.

Partindo da quarta linha da grelha, previa-se uma corrida complicada. Numa pista em que a pole position é muito importante devido ao seu traçado característico, Miguel Oliveira teria de fazer uma corrida limpa e com tempos superiores aos seus adversários para aspirar aos lugares de topo.

Chegado o dia da corrida, Miguel Oliveira queria recuperar as boas sensações que tinha conseguido no primeiro dia de treinos livres. Para chegar ao topo teria de ultrapassar vários pilotos o que, claramente, não parecia tarefa fácil. Para alguns, até impossível.

Pelos vistos, não o foi para o piloto português. Entrou bem na primeira curva, tentando ao máximo juntar-se ao grupo da dianteira, alcançando logo o nono lugar. Nesta altura, estava já em fase de recuperação. Com o foco na frente da corrida, Miguel Oliveira foi melhorando os seus tempos a cada volta, ultrapassando vários pilotos que seguiam à sua frente e que saíram da primeira linha da grelha de partida, como é o caso de Mattia Pasini, da Italtrans Racing Team, o vencedor da prova anterior, na Argentina.

A oito voltas do final da corrida, o piloto de 23 anos já se encontrava na terceira posição. Depois de uma recuperação incrível e de uma prova muito cansativa, Miguel Oliveira ainda conseguiu diminuir consideravelmente a distância que o separava do piloto que ocupava então o segundo lugar, Alex Marquez, da equipa EG 0,0 Marc VDS, para pouco mais de um segundo. Do vencedor ficou a quase quatro segundos. A primeira e a segunda posições eram pouco prováveis apesar do ritmo que o piloto atingiu. Marquez e Bagnaia tinham uma vantagem que se verificou demasiado extensa para o piloto luso. É caso para dizer que se mais voltas houvesse, mais lugares o piloto da KTM recuperaria.

Com mais um pódio garantido ainda no início desta temporada de 2018, o piloto português continua na luta pelo título de Moto 2. Por esta altura, ocupa já o quarto lugar da classificação geral com 43 pontos, a apenas 4 pontos tanto do segundo e terceiro classificados, Mattia Pasini e Alex Marquez, que estão empatados com 47 pontos. Na liderança do campeonato da categoria intermédia está Francesco Bagnaia, da Sky Racing Team VR46, o vencedor da prova nos estados unidos, com 57 pontos.

Ainda há muito para acelerar neste campeonato do mundo de motociclismo que permanece ao alcance de Miguel Oliveira. O piloto português, candidato ao título deste ano, foi terceiro classificado na temporada de 2017 e este ano continua a lutar pelo título e a fazer história no mundo do motociclismo.

A próxima corrida terá lugar no Circuito de Jerez, em Espanha, no dia 6 de maio. O país vizinho recebe então a primeira prova em solo europeu, neste que é um traçado já bem conhecido do piloto da KTM.

Será na primeira prova europeia do calendário que Miguel Oliveira irá subir ao lugar mais alto do pódio? Esperemos que sim. Note-se que estamos a falar do melhor piloto português de sempre que continua a surpreender o público que o acompanha, corrida após corrida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *