Atualidade,  Sem Categoria

Morreu “El Comandante” Fidel Castro

Nascido a 13 de agosto de 1926, o emblemático líder cubano faleceu na noite de sexta-feira, dia 25 de novembro, aos noventa anos.

“O comandante-chefe da revolução cubana morreu esta noite”, anunciou Raúl Castro, atual chefe de Estado do país e irmão de Fidel, num comunicado na televisão estatal. Fidel Alejandro Castro Ruz, o líder da revolução cubana, morreu na noite de sexta-feira às 22h29, hora local.
Estudou direito na universidade de Havana e liderou Cuba desde a revolução que derrubou o governo de Fulgêncio Batista: de 1959 a 1976, como primeiro-ministro, e de 1976 a 2006, como presidente. Tornou Cuba um Estado socialista uni partidário, nacionalizou a indústria e os negócios e implementou reformas socialistas.
Marcou a identidade coletiva da ilha e foi das pessoas mais influentes, carismáticas e controversas no século XX. Apesar de já não estar no poder desde 2006, altura em que passou o poder para o irmão Raúl Castro, continuou a influenciar as políticas internas e externas cubanas.
A última vez que foi visto em público foi dez dias antes da sua morte, a 15 de novembro, quando recebeu o presidente do Vietnam, Tran Dai Quang. Uma das últimas visitas do ex-líder cubano foi também o presidente da república portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, com o qual se encontrou no dia 26 de outubro. Marcelo destacou o seu poder discursivo e a sua forte presença.

[cycloneslider id=”fidel1″]

Ainda no comunicado, Raúl Castro revelou que o corpo de Fidel Castro será cremado “atendendo à sua vontade expressa”. Anunciou também que a “informação detalhada sobre a organização da homenagem póstuma a Fidel” iria ser revelada nas horas seguintes. Emocionado, terminou a transmissão com a frase “Até à vitória, sempre!”, expressão com a qual Fidel terminava os seus discursos.

Miami festeja a morte de Fidel
Quando Fidel Castro ascendeu ao poder em 1959, milhares de cubanos exilaram-se em Miami para fugirem à opressão e à prisão. Little Havana, como ficou conhecido o bairro de grande concentração cubana, é casa de muitos emigrantes opositores do regime comunista de Fidel Castro.
Minutos depois de a notícia da morte do ex-líder cubano ter sido anunciada, centenas de emigrantes tomaram as ruas de Miami para celebrarem a morte daquele a que chamam um ditador e opressor. Ecoaram expressões como “Cuba livre!” e “Liberdade!” durante os festejos.
Foram abertas garrafas de champanhe e muitas pessoas choravam de emoção. O trânsito da avenida principal de Little Havana esteve interrompido durante horas devido à grande concentração de pessoas nas ruas. Fogo de artifício, tambores, buzinas, bandeiras cubanas e americanas: Miami levantou-se e festejou a morte de Fidel Castro.

[cycloneslider id=”fidel2-2″]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *