Media

Outlander: Uma viagem no tempo

A série que trago hoje é Outlander, um romance de ficção histórica baseado nos livros de Diana Gabaldon. Se já estás cansado daquelas séries curtas que são ótimas para passar o tempo, mas que não têm grande história, então Outlander é para ti.

Esta não é uma série curta e leve para passar o tempo, pelo contrário, trata-se de uma história um pouco complexa e muito envolvente, com episódios de cerca de uma hora.

A história começa no século XX, logo após a II Guerra Mundial, quando Claire Randall, uma enfermeira britânica que esteve na guerra, vai com o seu marido, Frank Randall, para Inverness, nas Ilhas Britânicas, para uma segunda lua de mel. Toda a viagem tem um certo ar de mistério, tanto o local em si como as pessoas que Claire conhece. É então que, durante a viagem, Claire e Frank testemunham uma espécie de ritual antigo junto de um círculo de pedras. Dias depois, Claire retorna ao local e sente-se atraída pelas pedras e, ao tocar numa delas, algo inexplicável acontece.

Claire. Fonte: TVLine

De um momento para o outro somos transportados para a Escócia do século XVIII, mais especificamente para o ano 1743, em que o mundo é completamente diferente daquele que Claire conhecia. É nesta Escócia violenta e dominada por clãs que conhece Jamie Fraser, um guerreiro escocês com quem tem de ultrapassar inúmeros desafios, na tentativa de regressar às pedras e voltar para o seu marido e para a sua vida anterior.

Com muitos dramas à mistura, começa então uma história de amor que faz com que Claire se sinta dividida entre dois mundos: o de Jamie e o de Frank.

Ao longo das cinco temporadas já disponíveis, a história desenvolve-se por meio de flashbacks e flashforwards, dando-nos a conhecer novas personagens, novos lugares e novos enredos, e contando alguns eventos históricos da forma como Claire e Jamie os viveram. Na minha opinião, é este jogo constante entre o passado, presente e futuro que torna esta série tão envolvente. Também as próprias personagens contribuem para isso, tornando-se mais complexas e evoluindo ao longo do tempo.

Claire e Jamie. Fonte: Espalha-Factos

No fundo, esta história começa como um romance clássico, mas evolui para algo muito maior, juntando mistério, história e ficção. Posso dizer que, mesmo depois de cinco temporadas, há pelo menos um mistério que continua por resolver.

Deixo assim a minha sugestão de uma série que não vais querer deixar passar. São episódios mais longos, mais intensos, em que cada episódio parece quase um capítulo de um livro. No entanto, desde as paisagens maravilhosas daquilo que aparenta ser a Escócia do século XVII às diferentes personagens a quem acabamos por nos apegar, a série é misteriosa e cativante desde o início.

Artigo revisto por Inês Pinto

Fonte da foto de capa: Netflix

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *