Media

Station 19: Uma linha ténue entre a ficção e a realidade

Se és fã de bombeiros, de drama, de ação e de Grey’s Anatomy, então a série que te trago este mês é indicada para ti.

Station 19 é uma série americana criada por Stacy McKee. Conta já com quatro temporadas, estando a última ainda a decorrer. Não te consigo fazer uma média de quantos episódios tem cada temporada, pois varia entre os 6 e os 17. Porém, posso dizer-te que cada episódio tem cerca de 40 minutos.

No início referi que esta série era indicada para os fãs de Grey’s Anatomy e deves ter ficado preso a pensar no porquê, mas deixa-me clarificar. Station 19 é o segundo spin-off de Grey’s Anatomy. Por isso, é normal que vás encontrar personagens emblemáticas pelos episódios de Station 19, como é o caso de Miranda Bailey (interpretada por Chandra Wilson) e da famosíssima Meredith Grey (interpretada por Ellen Pompeo).

Meredith Grey, médica em Grey’s Anatomy, com Andy Herrera, bombeira em Station 19. Fonte: Deadline
Miranda Bailey, médica em Grey’s Anatomy, com o marido Bem Warren, bombeiro em Station 19. Fonte: Metro

Passada em Seattle, esta série concentra-se na vida de seis homens e de três mulheres que fazem parte da Estação de Bombeiros Seattle 19. Tanto a nível profissional como a nível pessoal, desde o cargo mais baixo ao cargo mais alto, vais poder acompanhar a vida destes bombeiros e deste grupo tão peculiar e cheio de segredos. 

Na minha opinião, as personagens que mais me marcaram até agora na série foram:

  • Andrea “Andy” Herrera (interpretada por Jaina Lee Ortiz):

Andy é uma mulher forte, cheia de garra e muito dona de si. Foge das relações a sete pés, mas não deixa os casinhos amorosos de lado. Venera o seu pai, Pruitt Herrera (interpretado por Miguel Sandoval), e sonha em um dia ser como ele – Capitã da Estação de Bombeiros Seattle 19.

Fonte: Refinery29
  • Jack Gibson (interpretado por Grey Damon):

Jack é um homem que não pensa muito, entrega-se rapidamente e muito facilmente a tudo. Dono de um coração enorme, que é mascarado pelo seu sorriso galanteador e pela expressão facial de quem não é afetado por nada. Talvez seja esta bondade que me faz colocar Gibson nas minhas personagens favoritas.

Fonte: Pinterest
  • Maya Bishop (interpretada por Danielle Savre):

A Maya é um caso de “amor-ódio”. Admito que não fui muito com a cara dela ao início, mas ela também não ajudava. Sempre excessivamente competitiva e metida em tudo. Nunca aceitava não ser o centro das atenções. No entanto, uma transformação radical foi sentida nesta personagem nas últimas temporadas. Após revelar a sua história de vida e conhecer a mulher dos seus sonhos, Maya tornou-se mais compreensiva e companheira. Porém, o punho forte e a expressão autoritária mantêm-se, mas também são características próprias do cargo que ocupa.

Fonte: greysanatomy.fandom.com
  • Robert Sullivan (interpretado por Boris Kodjoe):

Robert era um homem de cara trancada, fruto de um coração completamente esmagado. Foram muitos os desastres que sucederam na sua vida e que o tornaram nesta pessoa autoritária e entregue aos vícios. E foram esses vícios e marcas profundas que o levaram do cargo mais respeitado para o cargo menos respeitado. O amor, esse desiludiu-o em alguns momentos. Mas também o recompensou e tem vindo a recompensar.

Fonte: Pinterest

Aquilo de que mais gostei nesta série foi da aproximação à realidade. Apesar de não contar histórias reais, é o mais fidedigna possível. Tanto que as histórias e situações que aparecem em cada episódio podiam facilmente acontecer a cada um de nós. Para não falar de que na temporada que está a decorrer retratam a pandemia da Covid-19. Não é um documentário, pois não estamos a falar da realidade. Mas admito que existe apenas uma linha ténue entre a ficção e o real.

Fonte: Canal de YouTube do JoBlo Streaming & TV Trailers

Artigo revisto por Ana Sofia Cunha

Fonte da foto de capa: CinePOP

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *