• Capital

    Alfama de quem lá mora e de quem lá passa

    Alfama é o mais antigo e um dos mais típicos bairros de Lisboa. Foi um dos bairros que sobreviveu ao Terramoto de 1775, e nele conviveram judeus, cristãos e muçulmanos. Foi também casa de muitos marinheiros. Hoje é a casa de quem lá nasceu e cresceu, de quem a escolheu como morada e das centenas que a visita todos os dias. [wp_biographia user=”teresalopes”] [wp_biographia user=”deborateixeira”]

  • Capital,  Secções

    “No Castelo ponho um cotovelo Em Alfama descanso o olhar”

    Alfama, que deriva do árabe al-hamma, é o mais antigo e um dos mais típicos bairros de Lisboa. Al-hamma significa banhos ou fontes, uma vez que lhe está associado, geologicamente, um grupo de nascentes minero-medicinais, que, ao longo da história, foram canalizadas para alimentar chafarizes. Um dos mais conhecidos é o Chafariz de El-Rei. Foi um dos bairros que sobreviveu ao terramoto de 1755. Abrangendo as freguesias de São Miguel, Santo Estevão e São Vicente de Fora – dos bairros de Lisboa, Alfama é o mais peculiar e o mais genuíno, assemelhando-se a uma antiga aldeia, onde as ruas estreitas (resultado da cultura muçulmana), os becos esguios, a roupa estendida…