• Opinião

    Coragem Líquida

    Sair à noite nunca esteve no topo da lista das minhas atividades preferidas. Obviamente, não censuro quem tem uma predileção muito grande pela “farra”. Compreendo perfeitamente o gosto pela conversa ébria e pelas “tolices” alcoólicas. Tenho um grau significativo de ansiedade quando lido com pessoas que não conheço. Ainda mais, quando me encontro num ambiente caracterizado por um aglomerado de claustrofobia, por um bafo irrespirável e por uma overdose de estimulação sensorial. Além do mais, essas pessoas estão num nível de consciência, digamos… volátil. Já tenho suficiente adversidade da minha psique quando o ambiente está estéril. Este acrescento de circunstâncias não favorece as minhas inibições. Perder a racionalidade é dos…