• Opinião

    “Salve-se quem puder”

    14 de setembro de 2017, 9h10 da manhã, estação Quinta das Conchas, linha Amarela. Avanço as cancelas do metro e chego à plataforma que está cheia. Penso: “bem, espero arranjar um lugar sentada visto que esta é uma das primeiras estações da linha”. O metro chegou. Qual lugar sentada qual quê. Fui brutalmente empurrada como uma sardinha em lata e lá fui eu, durante 3 longas paragens numa carruagem atulhada de pessoas espalmadas umas contra as outras, como se de mercadoria da pior espécie se tratasse. Dentro do metro quero-me mexer e é impossível, quero ver as horas no telemóvel e também não consigo, para respirar tenho de me colocar…