• Literatura

    Uma viagem literária desde o Estado Novo até ao 25 de Abril

    “Há livrarias que são apenas espaços e há livrarias que são sobretudo tempo. (…) A Ferin, com os seus 177 anos de história, os seus mais de 15 mil livros, a sua devoção à cultura, à sabedoria como a grande emancipadora dos homens e mulheres, é um desses lugares” – este excerto de Sobre a Leitura, do escritor francês Marcel Proust, descreve bem o espaço que dá outra cor à capital portuguesa desde 1840. Naquele dia soalheiro do início de maio, o espaço provou que continua bem vivo, acolhendo o debate “O que mudou na Literatura Portuguesa depois do 25 de abril?”. Quando entramos no número 70 da Rua Nova…