• Opinião

    A caça

    Este artigo é escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico Tenho assistido com relativa estupefação a esta onda de acusações de assédio sexual que assola os Estados Unidos da América. Em primeiro lugar, nunca esperei que as acusações a Harvey Weinstein, um total desconhecido para quem está fora do meio de trabalho cinematográfico, servissem de tão grande catalisador para esta revolução. A fazer apostas, os abusos de Bill Cosby teriam, a meu ver, um impacto superior. Enfim, o mundo às vezes é estranho. Não obstante, declaro-vos aqui a minha falta de crença em bruxas. Ou seja, se elas não existem, não sou a favor de as caçar. Não nego a…