Vitória de Márquez reforça a liderança do campeonato

O piloto espanhol venceu a corrida do circuito francês de Le Mans: Marc Márquez garantiu assim a terceira vitória consecutiva no campeonato, o que lhe permitiu consolidar o primeiro lugar da classificação geral.

Márquez esteve sempre nos 3 primeiros durante todo o fim-de-semana. Tudo fazia acreditar que seria sua a pole position mas foi o piloto Johann Zarco, da Monster Yamaha Tech 3, que a conseguiu. A última vez que um francês tinha conseguido sair da pole position em casa foi há 30 anos.

Zarco acreditava que tinha ritmo para vencer e, lá no fundo, todos torciam para que o francês conseguisse a sua primeira vitória na categoria rainha e, ainda para mais, num circuito que lhe é tão próximo.

Ao arrancar, Zarco manteve-se forte e durante várias voltas disputou os primeiros lugares com Andrea Dovizioso e Jorge Lorenzo, ambos da Ducati, e Marc Márquez. No entanto, algumas voltas depois, Dovizioso cai e não consegue regressar à corrida. Pouco depois as esperanças do francês da Tech 3 foram “por água a baixo” depois de uma queda que sofreu completamente sozinho. Lorenzo acabaria por escorregar até ao 6º lugar.

Alguns pilotos começaram a aproximar-se da frente da corrida também como consequência das quedas que foram acontecendo. Surgiram Danilo Petrucci, da Alma Pramac Racing, e Valentino Rossi, da Movistar Yamaha MotoGP. Com os três pilotos bastante isolados a corrida terminou precisamente assim, com mais um pódio de Petrucci, a terceira vitória consecutiva de Márquez e o primeiro pódio da temporada para Rossi.

Fazem-se agora as contas do campeonato. Márquez segue na liderança com 95 pontos e com Maverick Viñales, da Movistar Yamaha MotoGP em segundo lugar mas já um pouco distante, a 36 pontos do líder, com 59 pontos. Em terceiro, a apenas 1 ponto de Viñales está o homem da pole, Johann Zarco. Os segundo e terceiro classificados da corrida deste domingo seguem logo atrás na classificação geral. Rossi em 4º lugar com 56 pontos e Petrucci, em 5º com 54 pontos.

Em Moto 2 a classificação geral mexeu nos lugares de topo mas não tocou em Francesco Bagnaia. O piloto italiano da SKY Racing Team VR46 alcançou a terceira vitória do campeonato. “Pecco” (como é mais conhecido) pareceu voar na frente da corrida até passar pela bandeira de xadrez. Mas, vamos começar pelo início. Ainda antes de a corrida começar, Xavi Vierge teve de começar do pit lane devido a um problema na mota. Isto fez com que perdesse a segunda posição na linha de partida que tinha assegurado na qualificação do dia anterior.O piloto da Dynavolt Intact GP arrancou de último mas foi, de punho cerrado, que conseguiu alcançar o 5º lugar da classificação ultrapassando mais de duas dezenas de pilotos durante toda a corrida.

De salientar duas quedas que mexeram com a tabela da classificação geral. Mattia Pasini, da Italtrans Racing Team, e Lorenzo Baldassari, da Pons HP40 e vencedor da prova anterior em Jerez de La Frontera. O primeiro ainda conseguiu voltar à corrida mas não conseguiu arrecadar nenhum ponto. Baldassari nem chegou a terminar a prova.

Alex Márquez, da EG 0,0 Marc VDS, manteve-se sempre na luta até que deixou Bagnaia fugir para não mais o apanhar. Terminou em 2º lugar a quase 3 segundos do italiano. Os 20 pontos que arrecadou com este lugar chegam em muito boa altura depois da queda da última prova.

Destaco também o colega de equipa de Márquez, Joan Mir. O espanhol que está a viver a sua estreia em Moto 2 alcançou o primeiro pódio na categoria intermédia afirmando que continua, tal como em Moto 3, com vontade de vencer.

Para Miguel Oliveira esta foi uma prova complicada. O piloto da KTM lutou durante todo o fim de semana para tentar assegurar um lugar no top 10. Conseguiu e partiu, precisamente, da 10ª posição da grelha de partida. Nesta corrida que não se avizinha nada fácil para o piloto de Almada, ainda foi possível, no entanto, recuperar algumas posições. O português alcançou a 6ª posição e garantiu a subida ao segundo lugar da classificação geral. Agora que já está completa a prova mais difícil do calendário, Miguel Oliveira vai dar tudo para conseguir um bom resultado na próxima corrida.

Feitas as contas na categoria de Moto 2, Bagnaia segue na liderança com 98 pontos e uma vantagem de 25 pontos para o segundo classificado, Miguel Oliveira que esta com 73 pontos. O 3º lugar é ocupado por Márquez e o 4º por Lorenzo Baldassari, com 67 e 64 pontos, respetivamente.

Na categoria de Moto 3 os níveis de tensão subiram ao máximo numa corrida imprópria para cardíacos.

Tudo parecia decorrer dentro da normalidade. Normalidade, que é como quem diz porque numa prova deste tipo tudo pode acontecer a qualquer momento. E foi exatamente isso que se passou.

A duas voltas do final da corrida, na frente seguiam 5 pilotos que disputavam os primeiros lugares. Mas apenas 2 chegaram até ao final e que nem sequer foram ao pódio. Mas vamos por partes. O primeiro incidente surgiu, precisamente, a duas voltas do fim. O piloto italiano Enea Bastianini, da equipa da Leopard, caiu completamente sozinho. Este poderia ter sido um simples incidente se Jakub Kornfeil não viesse logo atrás. O piloto checo da Redox PruestelGP viu-se mesmo em cima da mota de Bastianini que tinha ficado para trás com a queda e não hesitou. Passou-lhe por cima e naquilo que parecia um verdadeiro milagre aterrou, ainda cambaleou, mas conseguiu segurar-se e manter-se em prova.

Na última volta da corrida já outros pilotos se tinham juntado ao grupo depois da confusão da queda. Na frente mantinham-se na disputa pela liderança o espanhol Jorge Martin, da Del Conca Gresini Moto3, e o italiano Marco Bezzechi, da Redox PruestelGP e foi precisamente no último sector que o piloto italiano escorregou e caiu da mota. Martin seguia demasiado perto para evitar também a queda.

A corrida terminou com um pódio improvável com a vitória do espanhol da Angel Nieto Team Moto3, Albert Arenas. Em 2º lugar ficou o seu colega de equipa, o italiano Andrea Migno, seguido pelo espanhol Marcos Ramirez, da Bester Capital Dubai.

Na classificação geral do campeonato, como se pode calcular, as coisas estão bem diferentes. Apesar disso, ainda há quem tenha conseguido manter posições. É o caso de Bezzechi que, apesar da queda, mantém a liderança com 63 pontos. Mais próximo está agora Fabio DiGiannantonio, da Del Conca Gresini Moto3, com 59 pontos. Em 3º lugar está o espanhol da Estrella Galicia 0,0, Aron Canet, com 56 pontos. O grande derrotado neste momento é, sem dúvida, o espanhol Jorge Martin que depois desta queda desceu para o 4º lugar da classificação geral com 55 pontos. Recordo que Martin tinha também sofrido uma queda na corrida anterior, em Jerez de la Frontera, e não tinha pontuado.

A próxima corrida do calendário é no próximo mês de junho e irá decorrer entre os dias 1 e 3. A 6ª prova da temporada terá lugar no circuito de Mugello, em Itália. Ainda tudo pode acontecer neste campeonato do mundo de Moto GP que, como já se sabe, é sempre uma caixinha de surpresas.

Artigos recentes

The (not so) Good Place

Estás à procura de uma série curta e divertida para fazer binge-watching durante a quarentena? The Good Place pode ser a melhor opção. Esta série

Ler mais »

SNS e o suicídio

Não saber que o Sistema Nacional de Saúde é lento é como não saber que data é 1143: é sinal de que não se é

Ler mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *